Arquivo do mês: junho 2009

Uma praça com história

por Rodrigo Teixeira, 27/06

A Praça Doutor João Penido, popularmente conhecida como Praça da Estação, é, provavelmente, uma das maiores concentrações de prédios históricos em Juiz de Fora. Ela está localizada na área central de Juiz de Fora, entre as Ruas Halfed e Marechal Deodoro, em anexo à Praça Antônio Carlos. Estigmatizada como lugar violento da cidade, a praça é ponto de passagem de juizforanos de todas as classes sociais e profissões todos os dias.

A praça abriga, entre outras construções históricas a Antiga Estação de Trem, o Edifício Wagner Pereira e o Grande Hotel Renascença.

Grande Hotel Renascença

Grande Hotel Renascença

O Grande Hotel Renascença foi construído em 1887 e recebeu várias personalidades, como os presidentes da república Artur Bernardes e Getúlio Vargas. Há alguns anos, o restaurante do hotel foi reformado e agora leva cultura para compor a riqueza arquitetônica do local. Músicos de Juiz de Fora e região se apresentam no espaço todas as quartas-feiras.

 

Edifício Wagner Pereira

Outro prédio com relevância significativa da praça é o Edifício Wagner Pereira. A construção que já foi praticamente toda queimada por um incêndio, foi totalmente reformada pela família de seu construtor, um importante comerciante do passado, que dá nome ao prédio. Ele foi o primeiro prédio particular da cidade a ser tombado pelo patrimônio como patrimônio histórico. Foi também o primeiro a ter todos os quesitos de conservação cumpridos.

Edifício João Penido

Edifício João Penido

Hoje o prédio tem em suas dependências um pequeno centro comercial no primeiro andar e nos dois últimos o Estação Cultura: Estúdio de Dança Silvana Marques. O casarão foi reformado e cedido pela família de Wagner Pereira para que se tornasse um ponto cultural na praça em decadência. A reforma foi feita gratuitamente em 2005 pelo arquiteto Rogério Mascarenhas. No início de 2006, a escola de dança já funcionava no prédio.

A Escola tem hoje uma parceria com a FUNALFA, Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage, a qual tem por objetivo usar o espaço para diversas manifestações artísticas.

No contexto do início da escola na praça esteve presente um projeto da prefeitura que pretendia transformar a praça em uma “morada dos artistas” mas que acabou não tendo continuidade com a mudança de prefeito em 2006. Hoje, a Associação Comercial de Juiz de Fora tem o projeto de transformar a praça em um centro gourmet.

Silvana Marques, proprietária da Estúdio de Dança, afirma que se sente embaixadora da praça, pois, desde que chegou ao local, percebeu uma mudança acontecendo. Várias iniciativas começaram a acontecer por ali. Como a compra do Hotel Majestic pelo grupo dono do Hotel Victory e a reforma do restaurante do hotel Renascença. Para ela, se existissem mais incentivos públicos, a praça poderia ser bem diferente.“O que faltam são incentivos públicos para que continuemos a mudar a cara da Praça da Estação. Como a diminuição de algumas taxas e a atração de empresários que se interessem pela causa”, explica Silvana.

A Dançarina e Coreografa ainda fala o que pensa sobre o lugar histórico. “Eu não sonho com uma praça freqüentada pela elite de Juiz de Fora e sim que todos possam passar pela praça sem medo. Que ela se torne um ponto turístico. Um lugar de contato de diversidades. É isso que vai fazer esse lugar fervilhar”.

Veja imagens em 360º da praça

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Especiais