Fórum discute melhorias para a Zona Norte

Por Ana Paula Nascimento

O “Fórum Pró-Desenvolvimento da Zona Norte” reuniu, no último dia 12, líderes de bairros, vereadores e representantes da Polícia Militar para identificar problemas e discutir projetos de desenvolvimento para a região.

A Zona Norte tem uma população estimada em 140 mil habitantes, a maior da cidade, sendo a 18º maior concentração demográfica do Estado de Minas Gerais. São, ao todo, 86 bairros e quase 30 mil domicílios, de acordo com o vereador Wanderson Castelar (PT).

Além disso, possui 184 Km2 de extensão territorial e abriga dois distritos industriais com cerca de 6.500 empresas. Segundo a Carta de Princípios do Fórum, o objetivo é planejar e ordenar o crescimento a partir da bipolaridade característica da região. O primeiro polo em Benfica que se tornou uma espécie de capital da Zona Norte e o segundo, no bairro Francisco Bernardino, localizado no início da principal via de acesso da região e que ainda necessita de serviços.

Francisco Bernardino tem pequena oferta de serviços

Francisco Bernardino tem pequena oferta de serviços

Castelar foi líder comunitário, durante 12 anos, no bairro Monte Castelo e identifica algumas demandas. “Eu percebo, nitidamente, o quanto esta região carece de um hospital, de uma instituição de Ensino Superior, de melhor infraestrutura e de serviços mais adequados e próximos aos bairros”.

O objetivo, segundo o vereador, é buscar atendimento de uma série de reivindicações e elaborar um programa de desenvolvimento para a Zona Norte. Para ele, o ideal é que isto seja feito pela prefeitura juntamente com a sociedade. “É muito razoável pensar a cidade a partir de suas regiões, essa é uma ótica que outras cidades do mundo têm adotado e que vem surtindo bons resultados”. (Ouça um trecho da entrevista)

O presidente da Sociedade Pró-Melhoramentos (SPM) do bairro Benfica, Carlos Alberto Mendes, acredita que esse foi um pontapé inicial para começar a defender os interesses da Zona Norte. “O importante deste movimento é que não existe uma pessoa que manda. A reivindicação, a luta, a força é conjunta em prol de um objetivo comum”.

Ronaldo Tadeu Pereira mora no bairro Benfica há 22 anos e sempre se envolve nas discussões com o presidente da SPM. Para o morador, a prioridade é a saúde. “Precisamos de uma Unidade de Emergência para atender casos mais graves. A Policlínica recebe pacientes com diversos quadros de doenças sem ter condições materiais para isto. Nós temos um centro de Fisioterapia com sala de gesso e local para pequenas cirurgias, mas não há um ortopedista, somente fisioterapeutas”.

Policlínica de Benfica tem sobrecarga nos atendimentos

Policlínica de Benfica tem sobrecarga nos atendimentos

O presidente do Centro Comunitário e Cultural Carlos Chagas, Paulo César Silva Lopes, ressalta que a Zona Norte não tem um tratamento igualitário às outras regiões, como, por exemplo, a Zona Sul. “Há um crescimento desordenado, uma exploração imobiliária que avança sobre os mananciais e nascentes de água, uma alta arrecadação de impostos que não retorna em benefícios para a região”.

Paulo observa que o Fórum não possui hierarquia e é organizado de maneira democrática, aberto à participação popular. Pedro Daniel de Oliveira, presidente da Associação Comunitária do bairro Nova Benfica, adverte que a comunidade não se organiza. “O número de pessoas que compareceram ao Fórum foi muito pequeno, aproximadamente, 50 pessoas, o que é muito pouco para uma região tão grande. Faltaram representantes religiosos, das escolas e da saúde”.

O vereador Castelar revela que os demais segmentos da sociedade serão consultados nas próximas edições do Fórum. “Pretendemos realizar um seminário para a elaboração do programa de desenvolvimento para envolver além das lideranças comunitárias, outros segmentos sociais como lideranças empresariais, líderes religiosos e lideranças comunitárias de demais setores como, por exemplo, da saúde”. (Ouça)

Semáforo e redutores de velocidade na Rua Bernardo Mascarenhas são fruto de reivindicação dos moradores do bairro Fábrica

Semáforo e redutores de velocidade na Rua Bernardo Mascarenhas são fruto de reivindicação dos moradores do Bairro Fábrica

Pedro de Oliveira afirma, ainda, que é preciso políticas públicas de segurança para conter os assaltos e as brigas de gangues que chegaram ao limite. Na infraestrutura, é preciso pavimentação das ruas. “É necessário, também, a participação das pessoas, uma mudança de comportamento e não deixar apenas as coisas acontecerem”.

A coordenação do Fórum se reúne toda última quinta-feira do mês e, até o final do ano, outra edição do Fórum deve ser convocada, conforme afirmou o vereador. A data ainda não foi definida. Outro anseio que se pretende pautar nas discussões é a elaboração de uma lista de prioridades para tentar filtrar e solucionar, de imediato, problemas emergenciais.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s