Arquivo do mês: novembro 2009

Você se considera uma pessoa solidária?

Veja esses exemplos e entre no espírito natalino ajudando alguém neste final de ano

Por  Gláucia Almeida

e Marina Vidal

Nesta época de fim de ano as pessoas costumam ficar mais sensíveis aos problemas enfrentados por grande parte da sociedade: fome, falta de moradia, desemprego… É no mês de dezembro que se concentram as campanhas de arrecadação de alimentos, roupas e brinquedos para crianças, tudo numa tentativa de minimizar o sofrimento dessas pessoas numa época festiva. Alguns chamam esta mobilização de solidariedade, outros acreditam ser influência do espírito natalino. Em Juiz de Fora, campanhas tradicionais como a da Fundação Ricardo Moysés Júnior e da Fundação Espírita Allan Kardec (Feak) se misturam a iniciativas individuais, como a da Mamãe Noel Margarida Maria Gomes, de 58 anos.

Há 28 anos Margarida se veste de Mamãe Noel para doar presentes no Natal

“Comecei com uma brincadeira, porque meu filho faz aniversário agora em dezembro e eu também, aí em vez da gente comemorar o nosso aniversário a gente achou melhor compartilhar com as crianças carentes, distribuindo brinquedos, calçados, lanches, tudo que estiver em nosso alcance”, conta Margarida. Mas o que era brincadeira virou compromisso. Há 28 anos a Mamãe Noel visita, nos dias 24 e 25 de dezembro, os bairros Jardim Natal, Amazônia, Milho Branco e também áreas da zona rural de Olaria, Lima Duarte e Capoeirão para fazer a alegria das crianças. A história de solidariedade de Margarida já é famosa nestes lugares e ela diz que quando o Natal se aproxima o telefone não pára de tocar. “Ontem mesmo eu recebi uma ligação deles pedindo pra eu não esquecer do presente, porque lá na Zona Rural só eu mesmo que vou. Mamãe Noel lá é só eu”.

A história da Mamãe Noel já foi publicada em vários jornais da cidade

Para ela, o dia 25 de dezembro não é uma data especial por ser comemorada com festas e mesas fartas. “O Natal é brilhante pra mim porque eu comemoro junto com essas crianças. Se for olhar bem, o Natal é uma data triste pra muitas pessoas, mas como eu estou no meio deles dando essa alegria pra eles, fico feliz também, porque a alegria deles é tudo pra mim”, revela Margarida. Mas a menos de um mês do Natal a Mamãe Noel afirma que este ano está enfrentando dificuldades para arrecadar os presentes e doações. “Começamos com vinte e poucas crianças e agora eu tenho 1500. A cada dia que passa vai aumentando cada vez mais, né? E com o salário que eu ganho não está dando pra eu manter essas crianças”. Margarida faz um apelo para mobilizar as pessoas a praticar a solidariedade este ano. “Me ajude a dar esse sorriso para essas crianças neste Natal”. (Assista o vídeo)

Regina Perovani também faz parte do time da solidariedade

Mas a Mamãe Noel não está sozinha na busca de um Natal mais feliz para as famílias de Juiz de Fora. Regina Espósito faz aniversário no dia 1º de dezembro e aproveitou a data para arrecadar alimentos para famílias carentes. Ela irá comemorar seu aniversário com amigos e familiares e ao invés de presentes pediu para que todos levem alimentos. “Eu achei muito bonito e estou seguindo o exemplo da Jane Moysés que há algum tempo comemora seu aniversário recebendo presentes que podem ser distribuídos para as pessoas mais necessitadas. Então eu decidi fazer uma tarde bem legal e falei para meus amigos que tudo que eles pensassem em me presentear que eles convertessem em alimentos para a cesta de Natal”.

Regina disse que sempre foge de festas e comemorações de aniversário, mas que este ano arrumou um motivo maior para festejar. “Jesus disse que quando deres de comer ou beber a alguém é a ele que estamos dando. Então, além de participar de uma tarde agradável com amigos e familiares estarei ajudando ao meu próximo. Vou transformar essa tarde em benefício de alguém. Nós precisamos de muito pouco. Pessoas que a gente nem imagina passa por tanta dificuldade. Outro dia vi que Juiz de Fora tem 144 favelas. Você sabia disso? Temos que colaborar”.

Todos os alimentos que Regina receber serão encaminhados para a Feak. “Lá eles já sabem as pessoas que precisam, então vou levar a minha doação pessoal com a dos meus amigos”. Além disso, ela trabalha como voluntária em uma das gôndolas que a instituição instala em uma rede de supermercados da cidade.

Outras iniciativas

A campanha de Natal da Feak teve início no dia 28 de novembro. Voluntários ficam na porta dos supermercados pedindo e recolhendo alimentos não perecíveis que se transformam em cestas básicas para cerca de 4 mil famílias. Segundo uma das organizadoras, Andrea Falconi, cada ano a Feak distribui essas cestas em um lugar diferente da cidade, onde há pessoas necessitadas.  A campanha é realizada há aproximadamente 18 anos.

Além da Campanha de Natal, a Feak também realiza trabalhos de assistência social ao longo do ano, são eles: alfabetização de adultos, atendimento psicológico, homeopático, odontológico, fisioterápico, fonoaudiólogo e jurídico, artesanato, campanha do quilo, costura, reforço escolar e nutricional, entre outros. A sustentabilidade dos trabalhos é mantida com serviços prestados por alguns setores do próprio departamento de assistência social, como a Oficina de Biscoito, a Lanchonete, o Artesanato, a Campanha do Quilo e outros eventos como a Festa Junina/Julina.

 

Já a Fundação Ricardo Moysés Júnior realiza nos dias 03, 04 e 05 o tradicional bazar de Natal para arrecadar fundos para a instituição. O evento vai acontecer no Victory Business Hotel, com vendas de trabalhos feitos pelas artesãs do ‘Trem de Pano’, são enfeites de natal e presentes para toda família. O voluntário Marco Aurélio explica o que é a Ricardo Moysés. “A Fundação é uma instituição civil, filantrópica, que tem a finalidade de dar assistência à criança e adolescente portador de câncer. Ela oferece todo um tratamento, medicamento, exames, alimentação às crianças portadoras de câncer de Juiz de Fora e região”. Marco Aurélio fala da importância desta arrecadação no fim do ano. “O bazar é uma das atividades que a Fundação tem para angariar fundos pra manutenção de despesas de custeio. Uma vez que ela não tem subvenção de verba pública, todas as despesas de custeio têm que ser obtidas através de iniciativa própria”. Atualmente a fundação atende 420 crianças. Além disso, a Ricardo Moysés está convocando as pessoas para apadrinhar uma criança da instituição, é só entrar em contato e se cadastrar.

Seja Solidário

Mamãe Noel Margarida (32) 9102-3366

Ricardo Moysés Jr. (32) 3229-0002 // End. Francisco Vaz de Magalhães, 12, bairro Cascatinha.

Feak (32) 3236-1192 // Rua Itamar Soares de Oliveira, 200, Cascatinha.

1 comentário

Arquivado em Especiais

Vem chegando o verão…

Com a chegada da estação mais quente do ano, muitas pessoas já começam a se preparar. Dietas, malhação, viagens. Neste especial fique sabendo dicas que vão fazer o seu verão deixar boas lembranças

Por Giselle Clara e Michele Leite

O verão é uma das quatro estações do ano e, no hemisfério sul, tem início no dia 21 de dezembro e dura até o dia 20 de março. No Brasil, esse período também coincide com as férias escolares. A principal característica dessa estação são os dias longos e o intenso calor. Além disso são muito comuns as chuvas, no final da tarde, mas isso não atrapalha os planos de quem deseja aproveitar o período.

Muitas pessoas afirmam que no verão tem mais disposição para realizar as atividades. É o caso da estudante Thaís de Oliveira Pires. Para ela o verão é a melhor estação do ano por causa das roupas leves, dos dias mais longos e da temperatura. Ouça a opinião dela .

Já Jani de Souza, prefere o inverno. A estudante fala que o inverno torna atividades cotidianas mais simples “No inverno é muito mais fácil. É só colocar uma blusa mais quente que você está tranquilo. No verão não. Nem com uma blusinha mais leve você para de sentir calor”. Ouça o que ela diz .

Outras pessoas aprendem a “suportar” a estação. Esse é o caso do Vítor Campanha. O estudante de Jornalismo faz estágio em uma rede de televisão de Juiz de Fora e lá, ele deve trabalhar de terno. Segundo ele, a roupa não é a mais recomendada para temperaturas acima de 30º principalmente para pessoas que precisam de ônibus para se locomover. Ouça o que ele acha disso.

Por isso preparamos um especial com dicas muito valiosas para quem deseja aproveitar o verão e ter boas lembranças.

Os cuidados com a pele…

 A pele é um órgão de revestimento externo do nosso corpo e sua função principal é a proteção do organismo das ameaças externas físicas. Além disso, protege contra a desidratação por regular o calor e também constitui o sentido do tato e produz vitamina D

A dermatologista Vânia Piccinini  alerta que o uso de um bom filtro solar no verão é indispensável e deve se tornar um hábito. “Uma dica é deixar o filtro solar junto com a escova de dente para a pessoa adquirir o hábito de usar”. Tudo isso aliado a uma alimentação saudável com a ingestão de muito líquido, frutas, verduras e legumes.

Assista ao vídeo da entrevista com a dermatologista Vânia Picinini.

Nessa época do ano, as doenças de pele mais frequentes são as micoses, já que as pessoas transpiram mais e estão mais em contato com roupas úmidas, além de doenças como dermatites, brotoejas e pequenas assaduras que são bastante comuns no verão. Além disso, as queimaduras solares contribuem para o aparecimento de algumas doenças. “A pessoa que se expõe demais ao sol sem o uso de protetor solar, corre o risco de desenvolver um câncer de pele envelhecimento da pele. E a falta de informação leva a tudo isso”, completa a dermatologista.

A 11a Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele é uma realização da Sociedade Brasileira de Dermatologia e, em Juiz de Fora, acontecerá no dia 5 de dezembro, das 8h às 16h, no Hospital Universitário (unidade Dom Bosco). Na campanha haverá atendimento ambulatorial para verificar uma mancha ou uma pinta, por exemplo, e palestras educativas. Mas, vale ressaltar que é uma triagem e não uma consulta, em que será feita uma avaliação e os devidos encaminhamentos, se necessários.

De acordo com a dermatologista, os cuidados com bebês e crianças devem ser redobrados e, hoje, há um cuidado especial, uma vez que protegendo as crianças, evita-se que no futuro as pessoas desenvolvam o câncer de pele. “O sol é cumulativo na pele, então, até aos 18 anos, nós já tomamos sol suficiente para a vida toda. É inverídico dizer que o uso de filtro solar causa osteoporose, pois o protetor não dá 100% de cobertura”, orienta.

Uma decisão em pauta pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no dia 11 de novembro, foi a proibição, em nível nacional, da utilização de equipamentos emissores de radiação ultravioleta (UV) para bronzeamento artificial com finalidade estética. “A radiação UV é muito grande, como se estivesse exposta ao sol do meio-dia, então as pessoas propensas a desencadear câncer de pele, envelhecimento pegam uma radiação muito grande. As pessoas fazem sem orientação e sem controle, então essa proibição foi um ganho”, enfatiza a dermatologista.

Mas, os cuidados vão além da pele. Cabelos e unhas também devem ter um cuidado especial. “O cloro, a praia e o vento estragam o cabelo, e hoje existem shampoos anti-cloro, é importante fazer uso de hidratantes. Tomar cuidado para não entrar areia nas unhas e mantê-las sempre limpas, porque podem pegar micose. A micose se pega com facilidade e o tratamento é muito difícil e longo”, orienta Vânia Piccinini.

Corpos sarados…

O verão está muito associado à imagem das praias lotadas com corpos sarados, tonificados e bronzeados. Por isso é que, nessa época, aumenta a procura pelas academias de ginástica. Nesse período as academias chegam a receber , em média, 20% mais pessoas buscando o corpo ideal. Os “malhadores de verão” como são conhecidos, querem recuperar a boa forma, perdida durante todo o ano, em um tempo super rápido.

Denise Rodrigues é um exemplo disso. A secretária é uma malhadora de verão assumida, e confessa que no inverno manter uma rotina de exercícios é mais difícil. O verão acaba estimulando à procura das academias porque deixa o corpo definido.

Essa prática porém, não é recomendada e esse pensamento é inclusive controverso. O professor de Educação Física Fábio Tagliatti fala que a melhor fase para quem gostaria de queimar gordura rápido seria o inverno. “Não é recomendado fazer exercícios físicos só em alguns momentos. É necessário sair do sedentarismo. Mas quem quer malhar no verão para perder gordura, tem um pensamento errado. A queima da gordura acontece muito mais rápido quando aliamos uma dieta e os exercícios no inverno. Nesse período, o corpo precisa produzir calor, e acaba retirando energia das células de gordura”.

clique aqui e veja a matéria em vídeo sobre os malhadores de verão

Antes de fazer qualquer tipo de atividade física é imprescindível passar por uma avaliação física completa. As pessoas sedentárias, quando buscam a academia querendo um resultado rápido, acabam exigindo muito do corpo e prejudicando muitas vezes, as articulações como joelhos, tornozelos e punhos. A maioria das academias conta com médicos especializados e, se você vai começar a fazer exercícios sozinho, converse com seu médico antes.

Além dos exercícios físicos, para entrar em forma no verão, muitas pessoas também procuram as dietas milagrosas. Não é porque você quer emagrecer que vai deixar de comer tudo. Isso não existe. A dica é que se mantenha uma alimentação saudável durante todo o ano. Se isso não foi possível, alie a rotina de exercícios aeróbicos com uma dieta balanceada e beba sempre muito líquido.

Em dia com a alimentação…

A busca pelo corpo em forma exige um cuidado especial com a alimentação. Levar uma vida mais saudável é a recomendação de médicos e nutricionistas. “Preferir alimentos mais leves, de fácil digestão, ingerir muito líquido como água e suco, comer bastante verduras, legumes e frutas”, completa o nutricionista Arnaldo Pinheiro.

Para aqueles que praticam esporte ou atividade física, o nutricionista orienta (assista ao vídeo) que a atenção deve ser redobrada no quesito hidratação. “É importante durante a atividade física, ou uma prova de longa duração, molhar o corpo por fora de forma a economizar o suor”, recomenda.

De acordo com o nutricionista, a maior causa de internação de crianças é por conta da desidratação. Portanto, ter uma atenção especial com elas é fundamental, principalmente no verão. “A hidratação não é só na forma de água. A gente pode hidratar com chá gelado, gelatina, sucos, frutas suculentas”, completa. Ele ainda lembra que nessa época é mais comum o aparecimento de viroses intestinais, então, devemos ficar atentos aos casos de vômitos e diarréias. “Hidratar rapidamente e procurar atendimento médico” é a orientação do nutricionista.

De malas prontas…

O período de férias é reservado, muitas vezes, para os passeios. A procura por pacotes de viagens é intenso nesta época, mas geralmente, quem pretende viajar tem que correr. Os pacotes são vendidos com bastante antecedência.

De acordo com a vendedora Danielle Amaral da empresa CVC, em Juiz de Fora, os principais destinos de pacotes aéreos são as praias de Porto Seguro, Natal e Fortaleza no nordeste do Brasil. De alguns anos para cá, também tem aumentado também a venda de cruzeiros e viagens para a Europa para quem quer sair do país. Já quem viaja de ônibus, na maioria, prefere a região dos Lagos (Cabo Frio, Arraial do Cabo e Araruama).

Mas não podemos esquecer que essa diversão tem que deixar boas recordações e não prejuízos. Por isso, fique atento às dicas para ter uma viagem segura

Avião:

  1. Coloque etiqueta e cadeado nas bagagens
  2. Não leve objetos de valor em malas que serão despachadas
  3. Identifique a sua mala com fitas coloridas, para evitar que se misture com outra parecida.
  4. Fique atento ao peso da bagagem, você sempre deve deixar espaço para trazer as compras que fizer.
  5. Observe as indicações feitas pela aeromoça
Cruzeiros Marítimos

  1. Leve sempre uma blusa de frio. À noite, no mar, os ventos são fortes
  2. Leve compridos para enjoo, de precaução
  3. Os cruzeiros oferecem festas especiais e shows. Portanto leve roupas adequadas para os diversos programas disponíveis
  4. Procure saber em quais locais serão as paradas do navio. Assim você pode levar acessórios que serão úteis.
  5. Leve na bagagem de mão uma troca de roupa, ou pelo menos um biquini. A bagagem normalmente é despachada depois do início da viagem. Assim, enquanto espera, você pode ir se divertindo
Ônibus

  1. Chegue mais cedo na rodoviária para não perder o horário de partida
  2. Fique atento à plataforma de embarque
  3. Não deixe bagagens sozinhas no terminal
  4. Escolha um ônibus confortável para a viagem
  5. Exija a identificação da bagagem pela empresa
  6. Fique atento às bagagens de mão nas paradas

1 comentário

Arquivado em Especiais, Primeira Página

Escolas de dança movimentam fim de ano em Juiz de Fora

Apresentações têm se tornado tradicionais nos principais palcos da cultura da cidade

Ensaio do espetáculo Dreams of Fame, da Advance Centro Integrado de Dança

Por Cíntia Guimarães e Maristela Meireles

Fim de ano chegando, as festas natalinas e de ano novo se aproximando e em Juiz de Fora a programação cultural tem se tornado tradicional nessa época. As escolas de dança da cidade, com muita criatividade, preparam apresentações especiais, onde mostram seu trabalho, estimulam a integração entre os alunos e incentivam a difusão da cultura em Juiz de Fora.

As apresentações se tornaram constantes nos teatros da cidade e atraem um público médio de mil pessoas por dia de apresentação. Normalmente, essas escolas se apresentam por dois dias consecutivos.

Para Andréia Ventura, proprietária da Advance – Centro Integrado de Dança e professora de jazz e dança contemporânea, as apresentações de final de ano vêm brindar o trabalho de um ano inteiro dessas escolas. “As escolas em geral mostram tudo o que elas têm, mas nem sempre elas têm tudo. Esse ano, a gente conseguiu mostrar todos os estilos de dança que tem na escola. Porque nos outros anos a gente não tinha conseguido colocar a dança de salão” comemora Andréia.

Pelo terceiro consecutivo a escola realiza a apresentação especial de final de ano. Esse ano, os alunos da Advance se apresentaram com o espetáculo “Dreams of Fame”, uma coletânea de musicais da Broadway: Hair, O Fantasma da Opera, Chicago, High School Music e Mamma Mia. As apresentações contaram com a participação de todos os alunos da escola, cada um no seu estilo, dançaram contemporâneo, ballet clássico, street dance, sapateado, tango, jazz e dança do ventre.

A professora destaca que o palco preferido para essas apresentações é o Cine Theatro Central. Isso porque o Theatro Central é um marco na cultural da cidade. “Estar no Cine Theatro Central, se apresentando pra comunidade é muito bom. Primeiro, porque a gente abre as portas do Central a preço popular. E os alunos, se apresentando no Theatro, têm uma empolgação maior, uma motivação maior. Então, a gente une duas coisas, a finalização do trabalho realizado todo o ano e estar dentro do Cine Theatro Central, que é um marco da cultura da região e da cidade”.

 

Experiência, novidade e nervosismo sobem ao palco

Há 11 anos, Lívia Consentino se apresenta em espetáculos de dança. A aluna de ballet clássico e contemporâneo, conta que mesmo se apresentando há tanto tempo, o espetáculo mais tranquilo foi o primeiro. “Quando tinha oito anos fiz minha primeira apresentação e foi a mais calma.”

Lívia Cosentino se apresenta há 11 anos, mas não nega que até hoje sente um friozinho na barriga

Lívia começou a dançar em 1998, desde então, não parou mais. Mesmo mudando de cidade, a bailarina procurou uma nova escola para continuar a dançar. E depois de tanto anos em espetáculos, ela conta que ainda sente aquele friozinho na barriga.

Durante o ensaio para a apresentação de “Dreams of Fame”, Lívia confessa que a rotina dos ensaios é a maior dificuldade que encontrou durante os seus 11 anos de bailarina.

Já a bailarina Ana Claudia Pereira Carvalho se apresentou pela primeira vez no fim de semana. Ela revela que nunca tinha dançado antes, até assistir a uma apresentação de contemporâneo no aniversario de 15 anos da irmã, e tem as melhores expectativas para o espetáculo. “Estou ansiosa e feliz com essa apresentação” afirma.

Oportunidade para todos

Nos espetáculos das escolas, todos os alunos podem participar, independente da idade ou nível técnico

O que chama a atenção nos espetáculos das escolas de dança é que todos os alunos que queiram se apresentar podem subir ao palco. As escolas valorizam cada bailarino. No espetáculo “Dreams of Fame”, até as crianças do Baby Class participam da noite. Elas são as responsáveis, principalmente, pela abertura do espetáculo.

Tamiris Silva Prestes, de 11 anos, dança desde os três. A bailarina de street dance e balé clássico conta que mesmo tentando não ficar nervosa antes da apresentação, sempre fica ansiosa. Para Tamiris, se apresentar no Cine Theatro Central é bom e ruim ao mesmo tempo. “Bom por que é um lugar, vamos dizer, nobre. É um lugar legal. E ao mesmo tempo, cabe um maior número de pessoas”.

Tamiris Silva Prestes, 11, já passou por dificuldades nas apresentações, mas se manteve confiante.

Tamiris revela que a primeira apresentação no Theatro foi a única em que não caiu. Nas outras quatro, Tamirirs caiu durante a apresentação, mas isso não a impediu de prosseguir a coreografia. “Eu continuei dançando, na escola mesmo eu já caía, era mestre em cair!”

A bailarina conta ainda que tem mais medo de errar do que de cair. “Fico mais é com medo de errar. É por isso que a professora fala pra todo mundo olhar em volta. Se alguma errar, erra todo mundo e ninguém vai perceber.”

As apresentações das escolas são uma forma de trabalhar as diferenças entre os alunos e desenvolver a presença de palco de cada um. O que não acontece nos espetáculos das companhias de dança, que são apresentados no meio do ano, idealizados para uma equipe menor e com a técnica mais aprimorada.

Andréia Ventura também coordena a Advance Cia. de Dança e explica a diferença entre os dois tipos de apresentação: “muitas vezes, dentro da escola você tem, na mesma turma, alunos que já frequentam a mais tempo e alunos que frequentam a menos tempo, alunos mais novos com alunos mais velhos(…). Na companhia você busca uma homogeneidade técnica.”

Assista a abertura do Musical Hair, no espetáculo Dreams of Fame. Participaram os alunos das turmas de iniciantes, intermediários e avançados do balé contemporâneo.

1 comentário

Arquivado em Especiais

Consciência universal

Por Aldine Mara, Anelise Polastri e Hellen Katherine

Desde 1888, a Lei Áurea pôs fim ao regime escravista brasileiro. Naquela época, a opção pelo trabalho escravo tinha como principal argumento uma teoria assegurada pela Cora e pela Igreja: o negro era considerado um ser racialmente inferior. Por conta disso, historiadores como Pedro Calmon e Pandiá Calógeras, afirmam que entraram nos portos brasileiros cerca 8 milhões de escravos a partir de 1570. Essa tese sem qualquer fundamentação científica e, principalmente, humana, perpassou a história do Brasil durante anos, deixando marcas e fomentando grupos de resistência que lutam para recuperar o grande déficit sócio-econômico causado aos afrodescendentes desde o período Colonial.

Cento e vinte e um anos depois da abolição da escravatura, muito se fala sobre consciência negra. Por conta desse pensamento, uma conquista já é celebrada anualmente: o Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro. A data representa o dia da morte do líder do Quilombo dos Palmares, Zumbi, que morreu em 1965. Este personagem representou a luta do negro contra a escravidão e morreu em combate, defendendo a cultura e a liberdade de seu povo.

Outro importante ganho do movimento negro foi a lei n° 10.639, a qual exige que as escolas brasileiras incluam disciplinas e conteúdos que visam estudar a história da África e a cultura afro-brasileira. Com esse objetivo, a Universidade de Juiz de Fora (UFJF) conta com espaços específicos para a discussão desses temas, como o Nepabe, Núcleo de Estudo e Políticas Afro-brasileiras. De acordo com o integrante do núcleo, Luiz Sérgio da Silveira,

Luiz Sérgio da Silveira: "Trazer o movimento negro para dentro das Universidades é um grande avanço"

 o objetivo desse grupo de  discussão é trazer para dentro da Universidade debates como, por exemplo, o racismo: “trabalhar a questão da pesquisa vai ser muito importante para que os próprios alunos desenvolvam novas idéias acerca da luta contra o racismo. Isso é uma contribuição que o movimento negro dá para a Universidade. A história africana e do povo negro no Brasil tem que ser colocada em sala de aula”, afirma. Sérgio comenta ainda quais são as propostas do Nepabe: “nós estamos com uma parceria com a Universidade, em torno de um projeto que é a biblioteca específica de assuntos afro-brasileiros. Nós já temos mais de cinco mil livros. Você vai ter não só a parte da biblioteca, mas também a parte de vídeos, a parte de informações onde haverá um setor da memória resgatada do movimento negro… A intenção é buscar a questão da pesquisa, do estudo, para poder criar um banco de dados com todas as informações do negro em juiz de fora”, explica.

O diretor geral do Neab, Robert Daibert, espera que o núcleo seja interdepartamental, garantindo, assim, a participação de professores, alunos, pesquisadores e todos servidores das unidades acadêmicas da UFJF

Outro grupo de discussão dentro da UFJF é o Neab, Núcleo de Estudo Afro-brasileiro. Também com a intenção de promover, dentro da Universidade, propostas de ensino e pesquisa relacionadas ao campo de estudos afro-brasileiros, o grupo busca viabilizar atividades de extensão voltadas para a mesma temática. De acordo com o diretor geral do Núcleo, Robert Daibert, o órgão vai além dos muros da Universidade: “o objetivo é reunir os pesquisadores não só da UFJF, mas do movimento negro e da sociedade civil em geral, em torno desse tema”, ressalta. O Neab terá sua sede própria em breve, que irá funcionar no prédio da UFJF, na Avenida Rio Branco 3.460, Centro.

Movimento Negro em Juiz de Fora

 De acordo com Luiz Sérgio, o movimento negro está presente na cidade desde a década de 30, com diversas iniciativas e ações que mudam a cada época: “Hoje você tem um pouco mais de liberdade para poder falar. Mas em tempos atrás se você se reunia era perseguido pela polícia que chegava e batia: a capoeira não podia reunir porque todo capoeirista era bandido era malandro, a religião de matriz africana também era colocada sob a batuta da polícia.. e isso não era apenas em manifestação do ponto de vista do negro. Hoje isso já é diferente, por isso vemos o nosso crescimento”, diz.

Segundo Sérgio, o movimento negro em Juiz de Fora se organiza através de várias entidades e cada uma tem uma linha de ação, “algumas trabalham com a questão da arte e educação, outras com a questão cultural, outras são mais do ponto de vista político social, algumas trabalham com a questão religiosa, a religião de matriz africana… O movimento trabalha em vários núcleos e em vários níveis de luta, e mais ainda, trabalha unificado na questão na luta contra o racismo. Isso é o que unifica o movimento negro”, comenta.

Porém, ele aponta que ainda não é possível contabilizar quantos grupos trabalham com essa temática em Juiz de Fora: “As ações do movimento não estão ainda bem organizadas do ponto de vista de mapeamento das entidades do movimento negro. Mas eu falo que são várias entidades, cada uma na sua área faz o seu trabalho. Pegando o lado da música, tem o hip hop, tem o pessoal da dança de rua, da capoeira… Tem a questão política que luta contra o racismo, tem a parte da literatura com o resgate da literatura africana… São várias as ações”, explica.

Luiz comenta ainda, que a nível local nem todas as entidades se reúnem para “terem uma conversa”, mas que o Conselho de Valorização do Negro e a formação dos Núcleos (Neab e Nepab) podem unificar as atividades propostas desses grupos. E ressalta que a nível nacional o movimento está crescendo: “Existe o Conen (Conselho Nacional de Entidades Negras) que congrega várias entidades do ponto de vista nacional. Esse conselho está organizando o primeiro congresso negro brasileiro, que será uma ação que envolverá várias entidades locais. A partir daí você começa a tirar algumas diretrizes e orientar a luta contra o racismo no Brasil”. Em fase de organização, o Congresso está previsto para acontecer no ano que vem.

Quanto as conquistas do movimento negro em Juiz de Fora, Luiz aponta, principalmente, a visibilidade que os grupos passaram a ter: “A conquista maior é essa que você esta fazendo: me entrevistar.  Porque nesses anos todos de militância nós fazíamos sozinhos, éramos tachados de loucos ou, no mínimo, estávamos propagando o racismo. E nós provamos o contrário: o racismo existe e ele precisa ser combatido. No momento em que você derruba o mito da democracia racial , você acaba com o mito de que no Brasil não existe racismo. Isso foi o maior avanço. A própria Universidade brasileira passou a discutir e a trabalhar essa tese de que existe racismo”. Sérgio lembra ainda dos avanços obtidos no mercado de trabalho e na educação: “derrubamos o mito da boa aparência, de que boa aparência é de branco; na área da educação tem a questão das cotas, que muitos não aceitam, mas é uma forma de trazer o negro para dentro das Universidades. E isso aumenta o estudo acerca da participação do negro na história do Brasil , que vai desde a literatura até a ciência, e que muitos desconhecem”,diz.

Porém, um dos pontos que mais traz orgulho ao movimento negro é exatamente o pioneiro na luta contra a discriminação dos afrodescendentes: “A figura de Zumbi dos Palmares, que nos inspira , passa a ser um dos únicos heróis brasileiros de fato. E um herói que nasce do povo, a ponto de vários municípios e alguns estados já terem feriado em comemoração ao dia de Zumbi dos Palmares”, finaliza.

 Mês da Consciência Negra

 Em Juiz de Fora, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), por meio da Funalfa, promoveu durante todo o mês de novembro uma programação especial em comemoração ao Mês da Consciência Negra. Foram desenvolvidas atividades para a ocasião, como palestras, workshops, apresentações de dança e música, exposições, cinema, celebrações religiosas, caminhadas entre outras ações. O objetivo foi debater as contribuições das diversas manifestações de matriz afro-descendente para a cultura brasileira, com a participação de vários artistas da cidade. A programação teve início no dia 13 de novembro e terminou no último dia 29.

Uma das atividades presente na programação foi levar para as salas de cinema o filme nacional Besouro. O longa que estreou em outubro desse ano foi exibido a preço popular (R$1) no CineArt Palace nas quintas-feiras, durante o mês de novembro. O filme conta a história de Manoel Henrique Pereira, um menino negro, nascido em um Brasil que havia libertado seus escravos recentemente. Manoel passa a ser chamado de Besouro e se torna o maior capoeirista brasileiro da década de 20. Um menino que se identifica com o inseto (besouro) por desafiar as leis da física ao voar, passando a ser o símbolo da luta contra o preconceito e a opressão.

Veja o Trailer do Filme:

 

 

1 comentário

Arquivado em Especiais

Esoterismo ajuda a atrair boas energias

Por Fernanda Rocha e Lílian Máximo

Muitas pessoas buscam no esoterismo, feng shui, cromoterapia, tarô, búzios, simpatias e em outros tipos de crenças, formas para equilibrar as energias e ter uma vida melhor. Esses costumes sem comprovação científica são manifestações culturais muitas vezes milenares e atraem milhares de seguidores que buscam eliminar a inveja, mal olhado e perseguição que impedem o crescimento espiritual, profissional e pessoal.

Segundo estudiosos, talismãs, banhos, pedras, óleos, flores, velas, anjos e aromatizantes são elementos que trazem energias boas para o ambiente, além de espantar as energias negativas. No entanto, é preciso conhecer bem os procedimentos. A casa, por exemplo, não pode ser lugar para entulho. Um ambiente mais próspero pode ser conseguido com uma mudança na decoração, na disposição dos móveis, nas cores, entre outras coisas. Este é o princípio do Feng Shui que parte da relação entre vento e água para observar as influências positivas que supostamente estariam presentes em um espaço e procura redirecionar as negativas de modo a beneficiar seus usuários.

Constatando que certos tipos de vibrações presentes no ambiente e em seu entorno poderiam agir de modo benéfico para o corpo e a mente, enquanto que outros tipos tenderiam a ser prejudiciais, o Feng Shui atrai seguidores que buscam estudar como situar as edificações, móveis e objetos da maneira mais adequada segundo esta interpretação da natureza. Assim, quando as pessoas encontram este equilíbrio, podem gozar de saúde, boa sorte e prosperidade (isso também explica o que porque nos sentimos mais confortáveis em determinado ambientes e porque alguns locais são mais habitados que outros) e quando as ignoram e se alinham com influências nocivas, podendo experimentar dificuldades e obstáculos expressos em doenças, má sorte ou indisposição. ASSISTA AO VÍDEO PARA SABER MAIS.

O conhecimento destas “influências” pode explicar muitos fenômenos que percebemos apenas de forma intuitiva, como a paz e a tranquilidade, por exemplo. Silvana Maria Mendes aplica o que aprende em acompanhamentos espirituais em casa. Além de adotar o princípio do Feng Shui, ela usa cristais e pirâmides como uma forma curativa, ultrapassando o princípio decorativo.

Terapia holística

Darcy Castanheira resolveu mudar de vida quando percebeu que o stress não o deixava em paz e os vícios o perturbavam demasiadamente. Assim, após muitos anos de estudo e uma vivência significativa com diversas religiões e filosofia milenares, se tornou terapeuta holístico e atende pessoas que buscam se curar e viver com mais qualidade de vida. Ele ensina os princípios do reiki, da pirâmide aliada à cromoterapia e da caixa hogônica para equilibrar a parte espiritual, física e energética das pessoas.

A cromoterapia aplicada à pirâmide cura utilizando como base as sete cores do espectro solar em diferentes intensidades

A prática da utilização das cores n a cura de doenças vem sendo utilizada pelo homem desde as antigas civilizações com o objetivo de harmonizar o corpo, atuando do nível físico aos mais sutis. Darcy Castanheira acredita que cada cor possui uma vibração específica e uma capacidade terapêutica. O vermelho tem propriedade estimulante no organismo, o azul acalma, o amarelo provoca sensações de alegria, e o verde é repousante. Esses efeitos são mais ou menos intensos, dependendo da tonalidade usada e trabalhados juntos, tem poder curador. Ana Luiza, 21 anos, frequenta o centro terapêutico desde os 12 anos de idade e acredita que quando não participa da terapia, a vida começa a desandar.

A massoterapeuta Silvana Maria Mendes procurou se tratar há quase três anos atrás por indicação de uma amiga e não parou mais. Ela tinha diagnóstico de transtorno bipolar entre outras complicações pessoais e desde então afirma que vem recebendo curas e se sente muito melhor.

Consultoria Espiritual

Dona Irani, 62 anos, é conhecida como “Mãe da Bahia” há mais de 50 anos. Espírita, ela lê cartas, joga os búzios e consulta entidades de pomba gira para pessoas que necessitam de algum tipo de ajuda pessoal ou profissional, como cura de doenças ou problemas de família. De acordo com ela, é possível “ver o futuro” dentro de um limite espiritual, assim, com simpatias e umbandas trabalha-se esses males, buscando o bem.

Velas são acesas para cada santo ou entidade para buscar proteção e cura

A “Mãe da Bahia” acredita que a maioria das pessoas que procuram pelos seus serviços (também incluem jogos de tarô e búzios), são comerciantes e industriais, estudantes que buscam sucesso nas provas de vestibular e concursos, mulheres sobre orientação de relações afetivas e em último patamar, os políticos.

Nas cartas do tarô são representadas por arcanos que significa “mistério ou segredos a serem desvendados”

No jogo de cartas do tarô, composto por um baralho de 78 cartas (21 trunfos, um curinga e quatro conjuntos de naipes com 14 cartas cada), as cartas passaram a ser usadas para a previsão do futuro e estão associadas aos misticismo e a magia e desde fins do século XIX. A leitura do tarô é usada principalmente para uso divinatórios. É executada por meio de uma técnica específica por médiuns, escolhidos ou estudiosos. Irani afirma que nenhuma mãe de santo deve falar de tragédias e desgraças para não assustar o cliente, no entanto, ela pode guiá-lo através de uma ajuda espiritual para acabar ou minimizar os problemas que as cartas às vezes revelam. Num processo mediúnico, o tarô seria uma ligação espiritual entre o ser e o plano superior como qualquer outro instrumento o faria.

No jogo de búzios são analisadas as caídas e a disposição em que eles se encontram

O jogo de búzios (conchas pequenas de praia) é outra prática presente no mundo do esoterismo e misticismo popular. São aplicados com o objetivo de consultar o futuro ou o passado em comunicação com os orixás e a prática está reservada apenas a pessoas com uma forte espiritualidade, como a “Mãe da Bahia”. Ela acredita que faz o serviço de consulta espiritual após anos de aprendizado e recebimento dos direitos, autorizações e ensinamentos dado pela sua mãe de santo. Ela antes reza e saúda todas as divindades e conversa e lhes faz perguntas. Considera-se que as divindades afetam o modo como os búzios se espalham pela mesa, dando assim as respostas às dúvidas que lhes são colocadas.

A quantidade de búzios pode váriar, no entanto, o mais comum é composto de 16 ou 17 búzios, mas o jogo com 21 búzios também é muito comum. Podem ser jogados apenas em uma toalha branca numa mesa, ou num círculo formado por colares com vários objetos representativos dos orixás ou numa peneira também com fio-de-contas e objetos.

Simpatias

Simpatias prometem sorte, afastando o mau olhado e a inveja

Simpatia é uma forma de magia ou feitiçaria básica, extremamente ligada ao povo, normalmente de origem campesina. As simpatias são formadas da mesma substância da superstição e está intimamente ligada a esta. Muitos acreditam nesse poder curador e/ou de equilíbrio para ter uma vida mais tranquila e agradável. No entanto, é preciso ficar atento à esses rituais. Alguns são ensinados de maneira errada e podem trazer sérios transtornos futuro, como afirma a mãe de santo. Maria José Braga, comerciante, tem sempre uma simpatia para tudo. Ela não confia em revistas e outros informativos que estão disponíveis em bancas de jornal. No entanto, sabe, faz e aconselhas muitas simpatias que aprendeu com a mãe e a avó. “Sempre dão certo. Eu faço e indico”.

Além das crenças abordadas acima, que não são totalmente comprovadas pela ciência, há aquelas que são oriundas dos astros e dos 12 signos do zoodíaco. Cada pessoa, de acordo com o nascimento, apresenta um signo que rege sua vida, assim como cada pessoa possui um anjo de guarda que proteje seu caminhar na terra. Não importando o tipo de crença, o principal é buscar o bem comum, a saúde, o bem-estar e a harmonia.

1 comentário

Arquivado em Especiais

Empresas vão poder enviar formulários de seguro-desemprego pela internet

As empresas poderão enviar pela internet o formulário de pedido do seguro-desemprego para os funcionários demitidos. Essa nova prática é determinada pela resolução do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), publicada no Diário Oficial da União, no último dia 9. Inicialmente o sistema, denominado SDWeb, foi testado no Distrito Federal, com a participação de 71 empresas. Agora ele será estendido para todo o país. A requisição poderá ser feita ao MTE pelo empregador no mesmo dia da demissão.

Atualmente, o tempo entre o encaminhamento dos formulários emitidos pela empresa e o recebimento do benefício varia entre 30 e 45 dias. Com a utilização do sistema SDWeb, esse prazo poderá ser reduzido para dez dias.

O prazo para a implantação em âmbito nacional ainda não foi definido pelo MTE. Os empregadores deverão se cadastrar previamente para ter acesso online ao preenchimento dos documentos necessários para o recebimento do seguro por parte do funcionário dispensado.

Os documentos  necessários para que o funcionário entre com o pedido do seguro desemprego são o Requerimento do Seguro-Desemprego  (RSD) e a Comunicação de Dispensa (CD). O empregador preenche esses documentos e o beneficiário encaminha esses documentos para o MTE. Em Juiz de Fora esse encaminhamento é feito no PSIU.

Gláucia Antunes, responsável pelo Departamento Pessoal da empresa Perfeita Alimentos explica que o novo sistema não promoverá mudanças significativas na vida das empresas. Porém, vai adiantar a vida do beneficiário, pois ele poderá ter o processo de tramitação dos documentos adiantado. O seguro-desemprego é concedido ao trabalhador desempregado, por um período variável de três a cinco meses.

Deixe um comentário

Arquivado em Webjornalismo

Modelito tradicional pode prejudicar o corpo da mulher

A calça que ressalta a barriguinha sarada também pode agir no sentido oposto, e deformar a cintura da mulher

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

         Durante muitos anos, a calça de cós baixo ou, até mesmo, baixíssimo foi o padrão entre as mulheres. Na época, não se podia pensar em usar uma calça alta sem ser taxada de cafona. Porém, o tempo foi passando e, hoje, a maioria das mulheres tem se sentido prejudicada pelo uso prolongado desses modelos. Principalmente as que eram adolescentes na época. As deformidades causadas pelo modelito que aperta os quadris se acentuam nas mais jovens, pois a roupa inibe uma região em desenvolvimento.

            A calça de cintura baixa, que aperta a região dos quadris, favorece o acúmulo de gorduras localizadas na região da barriga e o surgimento de culotes. A esteticista Rita Rebelatto explica que as roupas apertadas, em geral, atrapalham a circulação do sangue, causando, além das deformidades na cintura, problemas de pele e escurecimento na região da virilha. É preciso tomar cuidado também com os sutiãs muito apertados. Eles podem deformar os ombros ou a circunferência das costas.

            O tratamento para essas deformidades não é simples e pode ser bastante caro. O cirurgião plástico Marilho Tadeu Dornelas conta que um número alto de mulheres vai até a sua clínica procurando uma solução para esse problema. O primeiro passo é um tratamento com gel redutor de gordura. Ele atua para descomprimir a região da depressão. Caso o gel não funcione, a única solução é a cirurgia plástica. A gordura é retirada da região do abdômen, flanco ou joelho e é injetada na área afetada. O preço de um procedimento como esse varia entre R$ 2 mil e R$ 3mil.

            Já é consenso que a calça de cós alto modela cintura e alarga os quadris. Rita Rebelatto lembra da época em que ela e as irmãs utilizavam um barbante na cintura para afinar a silhueta. A aposentada Enedina Meireles conta que, na sua juventude, as mulheres usavam saias altas, com o cós bem apertado, pra manter a cintura cada vez mais fina.

            Para o desagrado de algumas e a felicidade de outras, a moda cintura baixa não predomina mais. Hoje o mercado é bem diversificado e as calças, por muito tempo chamadas de “santropeito”, já são bem aceitas pelas mulheres e tidas, inclusive, como um sinal de sofisticação.  

A mesma modelo usando roupas tão diferentes. Com tendências que vão e voltam, é melhor se preocupar em ficar confortável

            A professora Fernanda Raposo, 40, passou por todas essas tendências e acredita que a moda de hoje favorece mais o seu corpo. Para ela, as cinturas muito altas ressaltavam a barriga, e alguns truques deveriam ser usados, como as cores escuras, por exemplo. Porém, a moda cintura baixa a desagradou bastante. Ela nota mudanças significativas no formato do seu corpo devido ao período que aderiu a essa moda.

           Mas há modelos para todos os tipos de pessoas. As mulheres quem têm o corpo em formato de triângulo invertido devem, sim, optar por coses um pouco mais baixos, para destacar o quadril, mas as peças não devem ser apertadas. Já as que têm o corpo em formato retângulo devem preferir os coses altos, que delimitam a cintura e dão curvas à silhueta.

         Os estilistas, esteticistas e médicos sempre repetem a regra: adequar a roupa ao seu tipo físico e sentir-se sempre confortável. As roupas apertadas demais tendem a parecer vulgar, atrapalham a circulação do sangue e deformam o corpo.

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano