Comércio inicia busca pelos profissionais de fim de ano

A data mais rentável para os comerciantes já começa a abrir portas para os profissionais.

Por Giselle Clara

Roupas novas, enfeites, presentes. O natal é uma das datas comemorativas que mais interferem em diferentes setores da economia e o principal deles é o comércio varejista. As vendas nessa época costumam aumentar.  De acordo com o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Vandir Domingues, o natal é a data que mais aquece o comércio seguido pelos dias das mães, dos pais e das crianças.

DSC04083

Lojas já começam a contratar profissionais para as festas de fim de ano

O faturamento do comércio, em dezembro, geralmente é 30% maior que o de novembro. Um dos fatores que mais influenciam neste aumento é o décimo terceiro salário recebido pelos consumidores.

Com a chegada da primeira parcela do 13° salário, em novembro, os comerciantes já começam a fazer propagandas para que os consumidores antecipem as compras de natal.

Empregos temporários na cidade

O aumento das vendas, também resulta na criação de novos postos de trabalho, principalmente para vendedor. O cargo muitas vezes é temporário, começando nos meses de outubro e novembro e chegando até os meses de fevereiro e março.

Em Juiz de Fora as contratações já são realidade. Segundo os proprietários de lojas, os vendedores chegam meses antes da data para serem treinados e atenderem os consumidores mais prevenidos. O contrato temporário termina depois dos prazos disponibilizados para troca dos presentes, nos meses de janeiro e fevereiro . Nesta época aumenta a procura por emprego na cidade. No Sistema Nacional de Empregos (Sine JF) a fila de procura por empregos temporários aumenta.

Tatiana Almeida é gerente de uma loja de sapatos e afirmou que a mão de obra a mais ajuda nos períodos de maior movimento. Por isso, a contratação deve acontecer com antecedência para que seja feito um treinamento específico na área.

DSC04085

Nessa época também aumentam as buscas por empregos temporários

Muitas vezes, os trabalhadores que procuram emprego temporário passam a fazer parte do quadro fixo de funcionários. Foi isso que aconteceu com Bárbara Pereira. A estudante de 18 anos teve seu primeiro emprego no Natal. Contratada para trabalhar, em uma loja de departamentos no período das festas de final de ano, ela foi treinada e ficou por lá durante um ano e meio. Para ela a experiência de primeiro emprego abriu outras oportunidades e resultou em uma formação diferenciada. “Eu recebi um treinamento de como lidar com o público, noções de contabilidade e direito do consumidor. Isso depois me valeu como experiência de vida e ainda abriu portas para outros empregos”.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Economia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s