CCBM seleciona projetos para ocupação de suas galerias

Por Marina Vidal

 A Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa) abriu edital para a seleção de projetos para a ocupação de galerias no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM). As galerias do CCBM, Heitor Alencar, Celina Bracher e Arlindo Daibert irão receber artistas e curadores para expor seus trabalhos de fevereiro a julho de 2010. As inscrições vão até 04 de dezembro de 2009.

Cada exposição vai ficar na galeria por 27 dias. Para a ocupação da Galeria Heitor de Alencar consta como critério de seleção que os projetos tenham como temática a cidade de Juiz de Fora, em comemoração aos 160 anos do município. A abordagem deve ser no campo cultural, histórico ou patrimonial.

matéria 2 semana 046

As galerias vão ser ocupadas por 27 dias.

Segundo o diretor do CCBM, Guy Schmidt, o artista deve apresentar um projeto que será analisado por uma comissão e esta vai ver quais são os prioritários. A comissão avalia a relevância da obra para o município, o currículo do artista e a obra que ele irá expor. Depois é colocado em agenda e a Funalfa e o Centro Cultural oferecem os convites para a divulgação da exposição. Fica sob responsabilidade do expositor o transporte das obras tanto na entrada quanto na saída do Centro. O diretor ainda falou da preocupação do CCBM em abrigar os mais diferentes artistas e manifestações culturais. 

As propostas são recebidas no Centro Cultural de terça a sexta-feira, entre 9h e 17h, ou através dos Correios, até o dia 30 de novembro de 2009. Podem participar da seleção artistas e curadores de todo o país que não tenham apresentado mostra semelhante nas galerias em 2009.

 

Como surgiu o Centro Cultural?

Considerado um marco da arquitetura local, o Centro Cultural Bernardo Mascarenhas foi criado em 1985, onde

matéria 2 semana 058

O prédio onde anteriormente funcionava a Companhia Têxtil Bernardo Mascarenhas

funcionava a antiga Companhia Têxtil Bernardo Mascarenhas. A fábrica inaugurada em 1888 foi um dos grandes propulsores da economia de Juiz de Fora. A companhia caiu em decadência na década de 30, devido às modificações políticas e econômicas, dando lugar ao Centro Cultural, um ano depois de seu fechamento.

Atualmente o prédio conta com ateliês de arte, áreas de exposição, videoteca, teatro e sala de Multimeios. Além disso, ainda funciona no local a Biblioteca Municipal Murilo Mendes e o Mercado Municipal. Ouça a descrição do local pelo diretor Guy Schmidt.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Cultura e Arte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s