Instituto Vianna Júnior promove IV Linux Day

Por Lílian Máximo

linux

No último sábado, dia 7, o Instituto Vianna Júnior realizou o IV Linux Day, promovido pelo Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet da Instituição. O evento busca criar um espaço para que a comunidade de desenvolvedores possa debater temas atuais em termos de softwares livres. Além disso, também tem como objetivo estabelecer um canal para troca de experiências entre acadêmicos e profissionais da área.

Na programação, palestras com profissionais renomados e mini-cursos. Durante todo o sábado, os participantes puderam conhecer mais sobre temas como “Licenças de Softwares Livres”, ”Técnicas de Invasão” e “Carreiras e o Mercado de Trabalho”.

Para a coordenadora do curso de Sistemas para Internet, Teresinha Magalhães, este é o maior evento de softwares livres da região. “Tivemos mais de 400 participantes, um recorde de público até hoje. Durante todo o evento foi nítida a satisfação e o interesse dos participantes. Conseguimos prender a atenção das pessoas”, diz. Ainda segundo ela, programações como essa são fundamentais para despertar no mercado de Juiz de Fora e na região a importância dos softwares livres para os profissionais das áreas de Tecnologia.

Diego Solano, 23 anos, estudante de Ciências da Computação, participou pela primeira vez do Linux Day. Segundo ele, as palestras foram interessantes, com temas enriquecedores, principalmente para alunos da área. “Eu gostei muito do evento. O mini-curso que eu participei foi ótimo e, com certeza, estarei presente nos próximos anos”, comenta o estudante.

O que são Softwares Livres?

Software Livre, ou Free Software é aquele que pode ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído sem restrição. De acordo com o artigo do especialista de Implantação de Software Livre, Augusto Campos, esse sistema é diferente de software em domínio público. O primeiro, quando utilizado em combinação com licenças típicas (como as licenças GPL e BSD), garante os direitos autorais do programador/organização. O segundo caso acontece quando o autor do software renuncia à propriedade do programa (e todos os direitos associados) e este se torna bem comum.

As quatro liberdades básicas associadas ao software livre são:

  • A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito (liberdade nº 0)
  • A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades (liberdade nº 1). Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade.
  • A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo (liberdade nº 2).
  • A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie (liberdade nº 3). Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade.

Augusto ainda cita como exemplo desse tipo de software: Linux, o ambiente gráfico KDE, o compilador GCC, o servidor web Apache, o OpenOffice.org e o navegador web Firefox.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Webjornalismo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s