Seguros de carro aumentam até 20% em Juiz de Fora

por Hellen Katherine

“Eu senti a diferença”. Assim, Sérgio dos Santos comenta sobre sua ida à seguradora de veículos para renovar o seguro do seu carro. O aumento de mais de 10% para garantir a segurança de seu Ford assustou o representante comercial, que não contava com a despesa extra. “Paguei porque não vou me arriscar, mas essa alta foi uma surpresa”, confessa.

DSC00315
Proprietários não estavam preparados para o reajuste do preço das seguradoras de veículos.

Assim como Sérgio, muitos cidadãos juizforanos que compareceram às seguradoras de veículos semana passada foram surpreendidos pelos preços mais salgados. Os aumentos variam de 10% a 20%, o que significa um gasto de R$100 a R$300 a mais para o bolso do consumidor. “Não contava com isso. Essas coisas mexem com o orçamento”, afirma o representante.

Juiz de Fora registrou, este ano, uma queda de 15% no número de casos de furto de veículos. Em compensação, o número de acidentes na cidade aumentou. Mesmo assim, os proprietários não compreendem de onde surgiu o reajuste. “Nunca usei o seguro, não consigo entender esse aumento”.

Para entender a mudança, um corretor de Juiz de Fora aponta alguns fatores principais que podem ser responsáveis pela variação dos preços dos seguros de carro. A exposição ao risco, o custo para reposição ou reparo de certas peças, o valor de mão de obra e o grau de sinistralidade (quantidade de sinistros, isso é, ocorrências de fatos prejudiciais, à qual o veículo está vulnerável) são alguns deles. “Se houve uma época de muitas chuvas, granizo, vendaval, a tendência é a sinistralidade daquele tipo de veículo aumentar e, com isso, o cálculo de composição da faixa de seguro aumentar o valor para reparar o veículo”, explica.

Além desses aspectos, o corretor acredita que os reajustes se devem ao próprio movimento do mercado. “A evolução é constante em qualquer área. Os planos de seguro há dez anos atrás eram muito mais simples e pobres do que temos hoje”, relembra, afirmando que os reajustes nem sempre são negativos para os consumidores. “Essa variação pode ser positiva ou negativa. Não necessariamente o seguro vai aumentar sempre. Muitas vezes, a gente tem redução do seguro, isso é fato concreto”.

Os preços de seguros variam de acordo com cada seguradora, que define os valores com base em determinantes específicos e na concorrência local. O corretor ressalta, porém, a necessidade de o consumidor correr atrás das informações, caso se sinta prejudicado. “Quando há uma explicação coesa para o segurado sobre o porquê da variação, ele compreende e, obviamente, vai ter embasamento para justificar o fato de estar pagando um pouco mais, se for o caso”, garante.

Mas, isso pouco acontece. O representante Sérgio revela que, de fato, nunca procurou saber mais sobre os fatores que atuam na composição de custos de seu seguro. “Realmente, nunca me informei”. E o corretor opina. “As pessoas precisam adquirir uma cultura sobre isso, entendendo mais sobre o movimento do mercado em que elas se incluem”.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Economia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s