Você se considera uma pessoa solidária?

Veja esses exemplos e entre no espírito natalino ajudando alguém neste final de ano

Por  Gláucia Almeida

e Marina Vidal

Nesta época de fim de ano as pessoas costumam ficar mais sensíveis aos problemas enfrentados por grande parte da sociedade: fome, falta de moradia, desemprego… É no mês de dezembro que se concentram as campanhas de arrecadação de alimentos, roupas e brinquedos para crianças, tudo numa tentativa de minimizar o sofrimento dessas pessoas numa época festiva. Alguns chamam esta mobilização de solidariedade, outros acreditam ser influência do espírito natalino. Em Juiz de Fora, campanhas tradicionais como a da Fundação Ricardo Moysés Júnior e da Fundação Espírita Allan Kardec (Feak) se misturam a iniciativas individuais, como a da Mamãe Noel Margarida Maria Gomes, de 58 anos.

Há 28 anos Margarida se veste de Mamãe Noel para doar presentes no Natal

“Comecei com uma brincadeira, porque meu filho faz aniversário agora em dezembro e eu também, aí em vez da gente comemorar o nosso aniversário a gente achou melhor compartilhar com as crianças carentes, distribuindo brinquedos, calçados, lanches, tudo que estiver em nosso alcance”, conta Margarida. Mas o que era brincadeira virou compromisso. Há 28 anos a Mamãe Noel visita, nos dias 24 e 25 de dezembro, os bairros Jardim Natal, Amazônia, Milho Branco e também áreas da zona rural de Olaria, Lima Duarte e Capoeirão para fazer a alegria das crianças. A história de solidariedade de Margarida já é famosa nestes lugares e ela diz que quando o Natal se aproxima o telefone não pára de tocar. “Ontem mesmo eu recebi uma ligação deles pedindo pra eu não esquecer do presente, porque lá na Zona Rural só eu mesmo que vou. Mamãe Noel lá é só eu”.

A história da Mamãe Noel já foi publicada em vários jornais da cidade

Para ela, o dia 25 de dezembro não é uma data especial por ser comemorada com festas e mesas fartas. “O Natal é brilhante pra mim porque eu comemoro junto com essas crianças. Se for olhar bem, o Natal é uma data triste pra muitas pessoas, mas como eu estou no meio deles dando essa alegria pra eles, fico feliz também, porque a alegria deles é tudo pra mim”, revela Margarida. Mas a menos de um mês do Natal a Mamãe Noel afirma que este ano está enfrentando dificuldades para arrecadar os presentes e doações. “Começamos com vinte e poucas crianças e agora eu tenho 1500. A cada dia que passa vai aumentando cada vez mais, né? E com o salário que eu ganho não está dando pra eu manter essas crianças”. Margarida faz um apelo para mobilizar as pessoas a praticar a solidariedade este ano. “Me ajude a dar esse sorriso para essas crianças neste Natal”. (Assista o vídeo)

Regina Perovani também faz parte do time da solidariedade

Mas a Mamãe Noel não está sozinha na busca de um Natal mais feliz para as famílias de Juiz de Fora. Regina Espósito faz aniversário no dia 1º de dezembro e aproveitou a data para arrecadar alimentos para famílias carentes. Ela irá comemorar seu aniversário com amigos e familiares e ao invés de presentes pediu para que todos levem alimentos. “Eu achei muito bonito e estou seguindo o exemplo da Jane Moysés que há algum tempo comemora seu aniversário recebendo presentes que podem ser distribuídos para as pessoas mais necessitadas. Então eu decidi fazer uma tarde bem legal e falei para meus amigos que tudo que eles pensassem em me presentear que eles convertessem em alimentos para a cesta de Natal”.

Regina disse que sempre foge de festas e comemorações de aniversário, mas que este ano arrumou um motivo maior para festejar. “Jesus disse que quando deres de comer ou beber a alguém é a ele que estamos dando. Então, além de participar de uma tarde agradável com amigos e familiares estarei ajudando ao meu próximo. Vou transformar essa tarde em benefício de alguém. Nós precisamos de muito pouco. Pessoas que a gente nem imagina passa por tanta dificuldade. Outro dia vi que Juiz de Fora tem 144 favelas. Você sabia disso? Temos que colaborar”.

Todos os alimentos que Regina receber serão encaminhados para a Feak. “Lá eles já sabem as pessoas que precisam, então vou levar a minha doação pessoal com a dos meus amigos”. Além disso, ela trabalha como voluntária em uma das gôndolas que a instituição instala em uma rede de supermercados da cidade.

Outras iniciativas

A campanha de Natal da Feak teve início no dia 28 de novembro. Voluntários ficam na porta dos supermercados pedindo e recolhendo alimentos não perecíveis que se transformam em cestas básicas para cerca de 4 mil famílias. Segundo uma das organizadoras, Andrea Falconi, cada ano a Feak distribui essas cestas em um lugar diferente da cidade, onde há pessoas necessitadas.  A campanha é realizada há aproximadamente 18 anos.

Além da Campanha de Natal, a Feak também realiza trabalhos de assistência social ao longo do ano, são eles: alfabetização de adultos, atendimento psicológico, homeopático, odontológico, fisioterápico, fonoaudiólogo e jurídico, artesanato, campanha do quilo, costura, reforço escolar e nutricional, entre outros. A sustentabilidade dos trabalhos é mantida com serviços prestados por alguns setores do próprio departamento de assistência social, como a Oficina de Biscoito, a Lanchonete, o Artesanato, a Campanha do Quilo e outros eventos como a Festa Junina/Julina.

 

Já a Fundação Ricardo Moysés Júnior realiza nos dias 03, 04 e 05 o tradicional bazar de Natal para arrecadar fundos para a instituição. O evento vai acontecer no Victory Business Hotel, com vendas de trabalhos feitos pelas artesãs do ‘Trem de Pano’, são enfeites de natal e presentes para toda família. O voluntário Marco Aurélio explica o que é a Ricardo Moysés. “A Fundação é uma instituição civil, filantrópica, que tem a finalidade de dar assistência à criança e adolescente portador de câncer. Ela oferece todo um tratamento, medicamento, exames, alimentação às crianças portadoras de câncer de Juiz de Fora e região”. Marco Aurélio fala da importância desta arrecadação no fim do ano. “O bazar é uma das atividades que a Fundação tem para angariar fundos pra manutenção de despesas de custeio. Uma vez que ela não tem subvenção de verba pública, todas as despesas de custeio têm que ser obtidas através de iniciativa própria”. Atualmente a fundação atende 420 crianças. Além disso, a Ricardo Moysés está convocando as pessoas para apadrinhar uma criança da instituição, é só entrar em contato e se cadastrar.

Seja Solidário

Mamãe Noel Margarida (32) 9102-3366

Ricardo Moysés Jr. (32) 3229-0002 // End. Francisco Vaz de Magalhães, 12, bairro Cascatinha.

Feak (32) 3236-1192 // Rua Itamar Soares de Oliveira, 200, Cascatinha.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Especiais

Uma resposta para “Você se considera uma pessoa solidária?

  1. Iluska Coutinho

    Reportagem bem pontuada e atual. Utiliza o gancho das festas natalinas para falar do trabalho de voluntariado e assistencialismo que algumas pessoas praticam nesta época do ano. As repórteres fazem uso de um personagem para humanizar o relato, aproximando o texto dos leitores. Além disso, contam experiências de outras tantas pessoas que se realizam ao ajudar o próximo. Matéria bem amarrada, com sonoras e vídeo ilustrando e acrescentando informações ao texto e às fotos postadas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s