Arquivo do mês: agosto 2010

Piano para uma plateia atenta e interessada

Por José Roberto Castro
A noite de quinta feira foi dedicada à musica clássica no Museu de Arte Murilo Mendes (MAMM).  A pianista juizforana Daniele Espíndola interpretou obras de compositores como Domenico Scarlatti, Franz Liszt, Sergei Prokofiev e os brasileiros Lorenzo Fernandez e Brasílio Itiberê Sobrinho. A apresentação foi parte do projeto Música Mamm, que desde 2007 promove apresentações musicais no anfiteatro da antiga reitoria.
A apresentação foi intensa, para uma plateia atenta e interessada, apesar de não muito numerosa. Para Daniele, o interesse é uma característica do público de Juiz de Fora, que ela classifica como tímido. “Em Juiz de Fora as pessoas são um pouco mais comedidas, as vezes ficam um pouco acanhadas, não sabem se podem aplaudir naquele determinado momento”, comenta.
Com um currículo respeitável e apresentações por todo o Brasil e pela Europa, ela confessa que é diferente tocar em sua terra natal e elogia o projeto do MAMM. “É uma sala super legal, com equipamentos de última geração,  a acústica é muito boa e o piano está em excelente condições. A produção é muito profissional”, afirma. Para a pianista, o fato de o projeto contemplar artistas da cidade é elogiável. “Juiz de Fora tem muita gente boa e muitas vezes se privilegia artistas de fora. Juiz de Fora exporta talentos.”
A juizforana foi a única brasileira a tocar no festival Templo da Música, evento integrado ao Festival Musical das Nações, que ocorre durante todo o verão em Roma, na Itália. E foi isso que atraiu o aposentado Carlos Sampaio. “Sou novo na cidade e não a conhecia. É muito bom ver uma cidade que reconhece seus artistas. Quem ganha é a plateia”, opina.
Daniele é graduada em piano pela Escola de Música da Universidade Federal de  Minas Gerais e atualmente é professora na Escola de Música do Jardim Botânico, no Rio. A pianista ressalta que, sempre que pode, vem a Juiz de Fora, local onde, segundo ela, aprendeu a gostar de música.

Deixe um comentário

Arquivado em Cultura e Arte

Inibição de enzima natural pode ajudar a reduzir dependência à cocaína

Estima-se que 14 milhões de pessoas no mundo fazem o uso abusivo de cocaína

Por: Thaís Pires

A revista americana Nature Medecine publicou recentemente um estudo onde se constatou que a inibição de uma enzima produzida de forma natural pelo corpo humano poderia ajudar no tratamento da dependência à cocaína.

A enzima ALDH-2 (aldeído desidrogenase-2) é conhecida por sua capacidade de reduzir o nível de acetaldeído, uma molécula que é acumulada com o consumo de álcool. Em experiências com ratos, um grupo de pesquisadores americanos demonstrou que o inibidor de ALDH-2 faz com que os animais consumam menos cocaína.

De acordo com o estudo, o inibidor, que será comercializado na forma de vacina, atua indiretamente reduzindo a produção e liberação de dopamina, uma molécula fundamental para os efeitos da cocaína e de outras substâncias. Além de reduzir o consumo de cocaína, o inibidor ajuda a prevenir futuras recaídas após um período de melhora.

A psicóloga Franca Leone, que trata de dependentes químicos e de pessoas com transtornos compulsivos em Juiz de Fora, explica que a dependência química é uma doença que pode ser controlada com terapia e medicamentos. Segundo ela, o estudo do inibidor se iniciou no Canadá e está em continuação nos Estados Unidos.

A doutora explica também que a vacina poderá ser tomada uma vez por mês pelo paciente e não encerra o desejo pela cocaína, mas faz com que o dependente não tenha a sensação de depressão que o faz recorrer à droga. Mas a psicóloga alerta, que o medicamento sozinho não surte efeito, o paciente deve se conscientizar e fazer o tratamento com acompanhamento médico e saber que é importante não se aproximar novamente da droga.

Deixe um comentário

Arquivado em Ciência & Tecnologia

Vôlei: Equipe da UFJF se prepara para o Campeonato Mineiro

Por Mariana do Amaral Antunes

Amistosos em Montes Claros (MG) serviram como treino para equipe da UFJF, para classificatória do Estadual

A equipe masculina de vôlei da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) já começou os preparativos para a disputa do Campeonato Mineiro, cuja etapa classificatória acontece entre os dias 1 º a 05 de setembro. Depois de participar de dois amistosos nos dias 20 e 21 de agosto em Montes Claros (MG) com a equipe BGM Montes Claros, o time de Juiz de Fora retornou à cidade para continuar os treinos, e considerou a passagem pelo sul de minas positiva, apesar do resultado – perdeu por 3×0 no primeiro dia, e 3×1 no segundo, além de um set extra disputado no formato tie-break, também com vitória montes-clarense: 15×6.

Treinador do time de vôlei da UFJF, Maurício Bara, espera repetir bons resultados como em 2009

Para o treinador do time de vôlei da UFJF, Maurício Bara, esses amistosos, além de fazerem parte do treinamento para o Campeonato Mineiro, permitem que os jogadores coloquem em prática o que foi passado. “Os jogos contribuem muito para a preparação do time na pré-temporada de torneios 2010/2011”, ressalta.

Com relação ao resultado, o técnico associou à força da nova equipe de Montes Claros, que foi apresentada durante os jogos disputados. “É uma equipe de alto nível. Jogar com eles contribui para que o nível da nossa equipe se fortaleça também”, destaca Maurício Bara.
O BGM Montes Claros foi o vencedor do Campeonato Mineiro de Vôlei de 2009 e vice-campeão da última Superliga, torneio considerado a primeira divisão do vôlei.  A equipe da UFJF participou pela primeira vez do estadual no ano passado, e competiu nas edições 2009 e 2010 da Liga Nacional, categoria que dá acesso à Superliga.
Nos jogos em Montes Claros, a equipe de Vôlei da UFJF também pôde mostrar o seu novo elenco, que está em fase de adaptação na décima semana de treinos para a disputa das principais competições da temporada.
Além do Campeonato Mineiro, principal foco no momento, a equipe também se prepara para os Jogos do Interior de Minas, que acontecem em outubro. Entre os reforços que entraram no time em julho, à época da disputa da Liga Nacional, estão Rafael, Rodrigo, Maurício, Jair, Rony e Marquinhos.
Estímulo a mais para os treinos

Ginásio da Faefid, reformado, é palco de treinos e competições da equipe

Com a reforma do ginásio poliesportivo e do novo complexo esportivo da Faculdade de Educação Física da UFJF (Faefid), o time de vôlei da UFJF vem tendo uma motivação a mais para treinar. O novo espaço passou a ser sede do time, e conta com estrutura de nível internacional, como comenta Rafael de Souza Leal, que integra a equipe juizforana.

“A base para qualquer esportista começa com as condições do local que temos para treinar. E o que temos hoje na Faefid não fica atrás de nada que eu já vi lá fora”, elogia o jogador, que disputou a Super Liga por um time espanhol em 2009.

A equipe masculina de vôlei da UFJF foi formada em 2008.  Em pouco tempo, passou a representar  Juiz de Fora nas competições estaduais e nacionais, sendo a primeira a representar a cidade na Liga Nacional de Vôlei.
Leia também: Projeto incentiva prática do vôlei em JF

Deixe um comentário

Arquivado em Esporte

Você se lembra em quem votou nas eleições passadas?

Por: Isabel Miranda

Já ouviu falar do “Cola Voto”? Talvez você já tenha aderido a essa prática sem perceber, mas a ONG Movimento do Voto Consciente, MVC, quer torná-la oficial, afim de refrescar a memória do eleitor. O aposentado José Silvino fala sobre suas expectativas em relação ao projeto.

José Silvino, na fila da Câmara para pegar a 2ª via da Carteira de Identidade para votar (Foto:Isabel M.)

Criada em meados da década de 80, a ONG já possui 700 voluntários cadastrados. Através do portal os eleitores podem acompanhar o desempenho dos vereadores nas Câmaras em cidades de todas as regiões do Brasil. Além disso, ainda tem a oportunidade de conhecer os projetos da entidade e se informar sobre o papel das pessoas que ocupam cargos políticos.

Como funciona?

O projeto consiste em um papel no qual o eleitor deverá anotar os contatos de seus candidatos e partidos. Desta forma, poderá acompanhar as atividades, fazer sugestões e cobrar os resultados dos representantes eleitos.

O modelo está disponível para impressão no portal da MVC: www.votoconsciente.org.br:

A ONG oferece, ainda, uma versão paga do material, na qual o impresso é colocado em uma carteira plástica, permitindo ao eleitor guardar junto seu título e os comprovantes de votação. Os interessados devem fazer um pedido mínimo de 50 unidades, no valor de R$75 mais o custo de postagem. Os pedidos podem ser feitos através do e-mail: contato@votoconsciente.org.br.

Uso indevido

O principal mote da proposta é “Controle os políticos, senão eles controlam você”. De acordo com a diretora geral da MVC, Celina Marrone, o Movimento não se responsabiliza pelo uso indevido do material. “Nós disponibilizamos os campos em branco e o preenchimento é de responsabilidade do eleitor que deve exercer os seus direitos através do voto secreto.” Segundo Marrone, o projeto é uma forma de construir a democracia.

Outros projetos

Além do “Cola do Voto”, o movimento oferece ainda programas de educação política para jovens e interessados em empresas, escolas e outras organizações.

Outras informações:

ONG Movimento do Voto Consciente: (11) 5641-3769

www.votoconsciente.org.br

Deixe um comentário

Arquivado em Política

Sertanejo Universitário é negócio próspero em JF

Por: Isabel Miranda

Chitãozinho e Xororó, Leandro e Leonardo e Pena Branca e Xavantinho estão perdendo espaço no cenário musical para artistas mais jovens que agora fazem a cabeça dos universitários. As músicas do Sertanejo Romântico apresentam uma versão mais moderna do que a de antigamente. Vitor e Léo, João Bosco e Vinícius e Luan Santana, são nomes que estão tomando conta dos palcos e das rádios.

Tido como o terceiro movimento da música sertaneja, o Sertanejo Universitário tem se tornado cada dia mais forte em Juiz de Fora. Algumas boates da cidade estão aproveitando essa moda para deixar a casa cheia e faturar no fim do mês. Destaque pode ser dado para o SESI Campestre, que reúne 1.500 pessoas por semana para assistir ao show da dupla Leonardo de Freitas e Fabiano. De acordo com o produtor, Fernando Cunha, o ritmo está tomando conta também da região sul-fluminense e tornou-se fonte de lucro, um comércio onde todos buscam explorar essa fatia de mercado.

Ouça a entrevista do empresário Fernando Cunha

Na última quinta-feira, a dupla se apresentou na UFJF durante o Tour Sertanejo Universitário, projeto desenvolvido pela E-Ltda que engloba também as faculdades Estácio de Sá, Suprema e Universo.

Ouça a entrevista do cantor Fabiano para a Rádio Facom, contando como foi o início da carreira e sobre projetos futuros para a dupla sertaneja.

 

Leonardo de Freitas & Fabiano em entrevista para a Rádio Facom (Foto: Isabel M.)

Deixe um comentário

Arquivado em Cultura e Arte

Vegetais verdes e folhosos podem ajudar na prevenção do diabetes tipo 2

Por Renata Delage

Um estudo publicado pelo British Medical Journal (BMJ) revelou que consumir mais vegetais verdes e folhosos, como o espinafre, pode reduzir o risco de se desenvolver diabetes do tipo 2. O estudo, chefiado pelo pesquisador Patrice Carter, da Universidade de Leicester, na Inglaterra, revisou seis estudos feitos com 200 mil pessoas e constatou que comer uma porção extra de vegetais pode reduzir em 14% o risco de ser acometido por tal tipo de diabetes.

Segundo a endocrinologista e professora de Medicina da UFJF, Mônica Barros Costa, o estudo só retoma o que já vem sendo constatado há muitos anos. “A diabetes está virando uma epidemia e isso ocorre em consequência da epidemia da obesidade”, afirma a endocrinologista. E a obesidade, segundo Mônica, é decorrente da mudança na dieta das pessoas, que comem cada vez mais gorduras saturadas e alimentos processados, em detrimento das fibras dos vegetais e de toda uma alimentação balanceada e saudável.

A equipe de Carter sugere que os vegetais de folhas verdes são úteis porque são ricos em antioxidantes e magnésio. Porém, a equipe admite que é preciso realizar mais estudos para sustentar essa afirmação. O que é indiscutível a respeito da doença é que a alimentação saudável aliada à prática de exercícios físicos são formas comprovadas no combate e na prevenção da doença.

“Para desenvolver o diabetes do tipo 2 a pessoa precisa ter uma predisposição genética, mas é mais um resultado dessas questões do ambiente, principalmente o sedentarismo e a dieta incorreta. A obesidade facilita o quadro da doença, mas uma pessoa magra, que tenha tendência à desenvolvê-la e seja sedentária também tem risco aumentado”, destaca a endocrinologista. “Já a diabetes do tipo 1 não está relacionada com o hábito alimentar. É uma doença auto-imune, um defeito do sistema imunológico”, esclarece.

A dosagem da glicose no sangue deve ser feita regularmente

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 220   milhões de pessoas são afetadas pela doença, que mata mais de um milhão de pessoas por ano em todo o mundo. À medida em que a taxa de obesidade aumenta, o número de mortes poderá dobrar entre 2005 e 2020, ainda segundo a OMS.

Os sintomas clássicos da doença, como urinar muito, beber muita água e emagrecer, podem levar até cinco anos para aparecer, “pois isso só acontece quando os níveis da glicose no sangue já são muito elevados”, explica Mônica. “50% das pessoas que tem diabetes não sabem que têm a doença. Se você não sente nada, acha que não tem doença nenhuma”, alerta. (Ouça a entrevista de Mônica Costa).

Deixe um comentário

Arquivado em Ciência & Tecnologia

Desemprego cai em Juiz de Fora e no Brasil

                                                                                                                                                              Por: Pedro Henrique Carpanês

A taxa de desemprego em Juiz de Fora caiu esse ano em relação a 2009. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego. A cidade, conhecida por estar na segunda região mais pobre de Minas, gerou nos últimos 12 meses uma média de 5.251 empregos. A maioria das vagas criadas está no comércio, no setor de serviços e na construção civil. Com saldo negativo estão a administração pública e a pecuária. A última mostra um aumento no êxodo rural na região, quando as pessoas deixam de morar e trabalhar no campo para tentarem a vida na cidade.

Para o economista Alessandro Barbosa, esses resultados mostram uma melhoria na economia da região e isso reflete diretamente na qualidade de vida da população.

 Sonora Alessandro I

Não foi só em Juiz de Fora que os números mudaram. A taxa de desemprego no Brasil caiu 12,4% no mês de julho. Os valores foram comparados com o mesmo período do ano passado. Esses dados divulgados pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos, o Dieese, mostram uma maior oferta de empregos nas regiões metropolitanas do país. O setor que impulsiona as estatísticas é a indústria, que sozinha gerou 20 mil novos empregos no país.

 Alessandro explica o motivo da queda no desemprego no Brasil em geral.

 Sonora Alessandro II

1 comentário

Arquivado em Economia