Vegetais verdes e folhosos podem ajudar na prevenção do diabetes tipo 2

Por Renata Delage

Um estudo publicado pelo British Medical Journal (BMJ) revelou que consumir mais vegetais verdes e folhosos, como o espinafre, pode reduzir o risco de se desenvolver diabetes do tipo 2. O estudo, chefiado pelo pesquisador Patrice Carter, da Universidade de Leicester, na Inglaterra, revisou seis estudos feitos com 200 mil pessoas e constatou que comer uma porção extra de vegetais pode reduzir em 14% o risco de ser acometido por tal tipo de diabetes.

Segundo a endocrinologista e professora de Medicina da UFJF, Mônica Barros Costa, o estudo só retoma o que já vem sendo constatado há muitos anos. “A diabetes está virando uma epidemia e isso ocorre em consequência da epidemia da obesidade”, afirma a endocrinologista. E a obesidade, segundo Mônica, é decorrente da mudança na dieta das pessoas, que comem cada vez mais gorduras saturadas e alimentos processados, em detrimento das fibras dos vegetais e de toda uma alimentação balanceada e saudável.

A equipe de Carter sugere que os vegetais de folhas verdes são úteis porque são ricos em antioxidantes e magnésio. Porém, a equipe admite que é preciso realizar mais estudos para sustentar essa afirmação. O que é indiscutível a respeito da doença é que a alimentação saudável aliada à prática de exercícios físicos são formas comprovadas no combate e na prevenção da doença.

“Para desenvolver o diabetes do tipo 2 a pessoa precisa ter uma predisposição genética, mas é mais um resultado dessas questões do ambiente, principalmente o sedentarismo e a dieta incorreta. A obesidade facilita o quadro da doença, mas uma pessoa magra, que tenha tendência à desenvolvê-la e seja sedentária também tem risco aumentado”, destaca a endocrinologista. “Já a diabetes do tipo 1 não está relacionada com o hábito alimentar. É uma doença auto-imune, um defeito do sistema imunológico”, esclarece.

A dosagem da glicose no sangue deve ser feita regularmente

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 220   milhões de pessoas são afetadas pela doença, que mata mais de um milhão de pessoas por ano em todo o mundo. À medida em que a taxa de obesidade aumenta, o número de mortes poderá dobrar entre 2005 e 2020, ainda segundo a OMS.

Os sintomas clássicos da doença, como urinar muito, beber muita água e emagrecer, podem levar até cinco anos para aparecer, “pois isso só acontece quando os níveis da glicose no sangue já são muito elevados”, explica Mônica. “50% das pessoas que tem diabetes não sabem que têm a doença. Se você não sente nada, acha que não tem doença nenhuma”, alerta. (Ouça a entrevista de Mônica Costa).

Deixe um comentário

Arquivado em Ciência & Tecnologia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s