Arquivo do mês: setembro 2010

Você também quer ser um Jovem Empreendedor?

Por Giovana Matias e Pedro Henrique Carpanês         

              Há um tempo, citamos aqui no Juiz de Fora On Line a preocupação do jovem com o mercado de trabalho . Muitos sonham em ter um patrão legal e sem aquele estereótipo do mal humorado. Mas existem aqueles que já querem começar como chefes. Com uma idéia na cabeça e muita força de vontade, sozinhos ou com amigos, alguns montam suas microempresas e assumem todos os riscos.

            Esse é o caso dos estudantes Luis Felipe Saleh e Daniel Couto. Amigos de faculdade e colegas de trabalho, eles

Luis Felipe Saleh e Daniel Couto de amigos a sócios.

 resolveram unir a vontade de trabalhar na mesma área e fundaram a Bravo Filmes.

            “A empresa ainda é pequena. Somos apenas eu e o Daniel. Fazemos de tudo um pouco. Isso por um lado é cansativo, mas por outro não temos que nos remeter a ninguém. Se algo sair errado, lógico que somos os responsáveis diretos, mas se der certo, o reconhecimento é todo nosso” diz Luiz Felipe. E é essa a mentalidade de outros tantos que montam seu próprio negócio.

Assista um trecho da entrevista de Luiz Felipe abaixo.

       

Hoje em dia, ser um empreendedor antes dos 30 anos, é mais fácil do que parece.

     Hoje o Brasil é o terceiro país do mundo em números de jovens empreendedores, segundo o Sebrae. Isso representa 3,85 milhões de jovens, que resolveram não ter patrão e abriram seu próprio negócio nos últimos quatro anos.

            Para quem acha, que estamos falando só de jovens adultos, da faixa dos 30 aos 40, está enganado. 25% desses mais de três milhões são de pessoas entre 18 e 24 anos.

            Nessa atmosfera empresarial existem dois tipos de empreendedores: um que precisa abrir a empresa por necessidade, devido à alta competitividade do mercado de trabalho, que atrapalha na busca de um bom emprego; e o outro que tem visão de futuro, e enxerga a possibilidade de abrir uma nova empresa com um bom negócio, que renda mais.

Ter visão de futuro é a pedida da maioria, pois apenas um de cada três jovens empreendedores escolhe virar patrão por necessidade. Para auxiliar os novos empresários o Sebrae promove cursos direcionados para esse público. O objetivo é proporcionar aos participantes uma noção das etapas do processo empreendedor, das características e do comportamento dele. Além de criar uma auto-avaliação quanto ao seu próprio potencial para empresa.

 

Como criar uma empresa?

 

                Para você que já tem a idéia na cabeça, mas ainda não sabe como abrir sua empresa, é fácil. O Governo Federal criou uma nova modalidade de empresa. O Microempreendedor Individual é uma forma mais simples e serve para regularizar a vida de muito micronegócio por ai. Para se enquadrar nessa modalidade, a receita anual não pode passar de 36 mil reais.

              Luiz Carvalho, um dos responsáveis pelo Sebrae Minas, vê essa nova possibilidade como fonte inesgotável de recursos, tanto econômicos para o país, como de serviços para a população. “Isso incentiva que várias empresas

Para ser um jovem empreendedor, não basta só ter boas ideias. O importante é colocá-las em prática.

 saiam da ilegalidade e ganhem voz. Permite também que novos empreendedores tenham a oportunidade de abrir seus negócios com custos baixos e a segurança de uma grande empresa” afirma Luiz.

Escute a entrevista completa com Luiz Carvalho. Basta clicar aqui.

            O Brasil é um país em ritmo acelerado de crescimento. Alguns setores, principalmente os envolvidos com novas tecnologias e prestação de serviços – como é o caso do Luiz Felipe e do Daniel lá em cima na matéria – andam em larga expansão. Mercado de trabalho e atuação para essas novas empresas é o que não está faltando. O desemprego caiu nesse último ano (já falamos desse assunto também aqui no Juiz de Fora On Line), e o volume de exportação cresceu.

            Mas aqui! Se você não quer ser apenas mais um nas filas de entrevistas para empresas, e pretende seguir seu caminho com suas idéias, quem sabe seu futuro não é abrir uma empresa própria?! Uma dica importante: fazer uma avaliação de mercado e persistir no seu objetivo, fazem parte do início até a glória do seu negócio.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Especiais

ONG: um esforço coletivo

Paula Medeiros
Renata Delage

Criada em março de 2005, a ONG Animal & Natureza é uma entidade filantrópica, que surgiu da dissidência de alguns membros ligados a outras entidades, a fim de explorar melhor a esterilização de animais. Sua atuação se baseia na castração de animais de rua e áreas menos favorecidas, onde os proprietários não têm condições de fazer a cirurgia com os próprios recursos.

Estampa de uma camisa da ONG

Citada por Paulo Rodrigues, ex-diretor e atual colaborador da ONG, como um dos maiores problemas que envolvem animais carentes, a reprodução indiscriminada de cachorros faz com que o problema cresça em proporções geométricas. Ou seja, “uma cadela no cio hoje, ao final de apenas um ano, terá gerado, em média, 36 descentes diretos. Se pensarmos apenas no território da nossa cidade, que tem entre 5 e 10 mil animais nas ruas, o número se torna monstruoso”, afirma.

A Animal & Natureza não conta com nenhum tipo de abrigo, pois para os defensores da causa essa não é uma solução (leia mais). A saída encontrada pelos integrantes é a firmação de parcerias benéficas para todos. “Fechamos parcerias com a maioria das clínicas veterinárias de Juiz de Fora, o que nos garante preços mais baixos. Isso é bom para os colaboradores, para os veterinários, que garantem muitos atendimentos, e, principalmente, para os animais”, afirma Paulo.

Além das parcerias firmadas com as clínicas, a ONG conta com a arrecadação de verba através da doação de colaboradores (leia mais). Quem tiver interesse em ajudar a causa pode se tornar um sócio doando quantias mensais estabelecidas pelo próprio doador. Outra forma de colaborar é atuar nos eventos organizados pela entidade. “Nós organizamos alguns almoços durante o ano e todo o dinheiro arrecadado vai para os animais, pois a maioria das coisas que utilizamos durante o evento também são doadas. Só que precisamos muito da colaboração das pessoas, de gente para trabalhar no dia mesmo” diz Paulo.

Cadela Pretinha à espera de um lar

ADOÇÃO: uma forma consciente de ter um amigo

Apesar de o principal foco da ONG Animal & Natureza ser a esterilização de animais, outra área de grande atuação é a adoção de animais. No ano passado a entidade firmou uma parceria com a Pedigree, na campanha “Adotar é tudo bom”, que estimula pessoas a adotarem um bichinho, ao invés de comprar. Essa campanha já existiu em diversos países e foi trazida para o Brasil por ser um modelo de sucesso na Europa e nos Estados Unidos.

Para cada animal doado, a ONG recebe 10 Kg de ração da marca a fim de ajudar a manter outros animais necessitados. Além disso, quem leva o novo amigo ganha um kit providenciado pela própria Pedigree.

Mas existem algumas exigências para quem quer adotar um cachorro. O dono deve ter espaço adequado em casa, deve estar ciente das necessidades e das despesas que o animal terá, além de disposição para vencer o período de adaptação, que não é muito diferente entre filhotes e cães já adultos, como muitos pensam. “As pessoas têm certo receio em adotar animais já adultos. Mas, na verdade, eles se adaptam com bastante facilidade. Se a pessoa tiver carinho, em apenas alguns dias o cachorrinho já vai estar totalmente apegado a ela”, garante Paulo Rodrigues.

Cadela Piche foi adotada por Paulo

A ONG possui o cadastro de todos os animais já doados através de uma ficha de doação e de um termo de compromisso, que o dono deve estar disposto a assinar. Sem ele, nada feito.

Conheça aqui a história da cadela Piche, recuperada pela Animal & Natureza.

A experiência de quem já está com o novo amigo em casa

José Acácio está há cerca de dois meses com a cadela Dourada e conta como é a convivência com a nova amiga.

P: Como surgiu seu interesse em adotar um cachorro?
R: a Dourada foi adotada para ser companhia de um cão que tem o nome FRED. Ele mora na minha granja, e sua irmã que se chamava Lara veio a falecer, deixando-o muito triste.

P: Como você ficou sabendo da ONG Animal e Natureza?
R: Meus filhos fizeram uma busca no site da Perdigree sobre animais para adoação e aí surgiu Dourada, que era exatamente igual a Lara, falecida alguns dias atrás.

Dourada em sua nova casa

P: Existe alguma diferença, na sua percepção, entre adotar um animal já adulto e um ainda filhote?
R: Não, no meu caso teria que ser um animal de porte grande e já adulto.

P: Como tem sido a sua experiência com a Dourada?
R: Excelente, nos primeiros dias ela sentiu muita falta do seu habitat, mas logo foi se acostumando com o novo. Hoje ela está feliz e nós também, sem contar o Fred que voltou a ter uma companhia.

Deixe um comentário

Arquivado em Especiais

Plantas medicinais serão utilizadas na rede pública de saúde em JF

O bálsamo é uma das plantas que serão utilizadas no SUS

Por José Roberto Castro

A Prefeitura de Juiz de Fora recebeu R$144 mil para reformar e equipar seu laboratório de manipulação plantas fitoterápicas, para uso medicinal. O dinheiro veio da Secretaria Estadual de Saúde e faz parte de um projeto piloto implantado em todo o país que visa a utilização de medicamentos feitos a base de plantas no Sistema Único de Saúde (SUS).

Os primeiros pacientes devem começar a receber os remédios fitoterápicos em março de 2011 nas Unidades Básicas de Saúde dos bairros Furtado de Menezes, Vila Olavo Costa, Borboleta, São Benedito e Nossa Senhora Aparecida. Segundo a coordenadora do Departamento de Práticas Integrativas e Complementares da Secretaria de Saúde da cidade, Nélida Ayub, o objetivo é que, no futuro, todos os usuários do SUS tenham acesso ao tratamento.
No total, serão utilizados medicamentos feitos a base de 11 plantas medicinais. A ideia é que, pelo menos sete delas, sejam produzidas na cidade. A produção em Juiz de Fora, reduziria o custo dos medicamentos e serviria de incentivo aos agricultores. As outras quatro plantas autorizadas pelo Ministério da Saúde não são produzidas no Brasil.
Alecrim, bálsamo, capim cidreira e outras plantas que a sabedoria popular e o tempo se encarregaram de classificar como medicinais. Hoje, elas são temas de estudos. Cada vez mais os pesquisadores querem saber até onde a fitoterapia é real e até onde ela não passa de um mito.
Nélida explica que, paralelamente ao projeto, será desenvolvido um trabalho de conscientização dos pacientes contra a auto-medicação. O uso indiscriminado de chás e outros medicamentos fitoterápicos pode causar efeitos colaterais. Ela lembra que as 11 plantas utilizadas no projeto foram testadas pelo Ministério da Saúde e só serão disponibilizadas com prescrição médica.

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano

Compras pela internet crescem 40%

Brasileiros movimentaram R$6,7 bilhões no comércio eletrônico no 1º semestre de 2010; Confira dicas para comprar de forma segura

Por Mariana do Amaral Antunes

Venda de TVs e artigos esportivos para a Copa do Mundo contribuíram para o aumento nas vendas online

A quantidade de internautas que preferem fazer suas compras pela internet cresce a cada dia, e isso já não é novidade para ninguém. Somente no primeiro semestre de 2010, os consumidores brasileiros movimentaram R$6,7 bilhões em compras na internet, de acordo com uma pesquisa da E-Bit, empresa especializada em comércio eletrônico. O valor representa um crescimento de 40% com relação ao mesmo período de 2009, e exclui compras de veículos, passagens aéreas e movimentações financeiras em leilões virtuais.

Opções de produtos não faltam à disposição do consumidor na internet, mas, segundo a pesquisa, o aumento foi impulsionado, principalmente, pela venda de aparelhos televisores de tela plana e artigos esportivos, por conta da Copa do Mundo que aconteceu em junho.

O estudante Régis admite que ainda tem receio de comprar de alguns sites na internet

O estudante Régis Adriano da Costa, de 20 anos, foi um desses consumidores que adquiriram artigos esportivos pela internet em época de Copa, e que volta e meia utilizam a grande rede para comprar em busca de comodidade e preços acessíveis.  “Além de artigos esportivos, compro de vez em quando livros e DVDs, que são muito mais baratos. A internet também é boa porque eu recebo os produtos em casa”, explica Régis.

Vantagens para clientes e vendedores

E se tem consumidor satisfeito de um lado, sem dúvidas há vendedores satisfeitos do outro, que comemoram o crescimento nas vendas.  Raquel da Silva Machado atua há cinco anos em um site de vendas, compras e trocas na web, vendendo produtos de beleza. A procura é grande, e ela diz que o segredo é passar confiança para quem compra: “nunca deixei de enviar nenhum produto, até porque este não é nem de longe o meu objetivo”, diz.

Apesar das vantagens, os consumidores devem ficar atentos, pois mesmo quem já está acostumado já passou por situações inconvenientes. Régis conta que certa vez adquiriu um produto, e se surpreendeu ao recebe-lo em casa completamente diferente do especificado no site. “Ficou por isso mesmo, por isso tenho um pouco de receio de comprar em alguns sites. Só compro nos que tenho cadastro, e que me passam um pouco de confiança”, admite o estudante.

Como comprar com segurança? Ministério da Justiça lança cartilha com orientações para compras pela internet

Deixe um comentário

Arquivado em Economia

Eleitores podem acabar votando em candidatos fantasmas

Por Débora Lemos

Eleitores devem ficar atentos aos candidatos para não desperdiçar seu voto.

Candidatos que começaram a campanha eleitoral podem se tornar não elegíveis até o dia 3 de outubro. Desistências e decisões judiciais são algumas causas que podem anular a candidatura de políticos. E os eleitores que não estiverem atentos aos seus candidatos podem acabar desperdiçando seu voto em candidatos fantasmas.

Os tribunais regionais eletorais são responsáveis por abastecerem as urnas com os dados dos candidatos e cada estado tem um calendário próprio. Portanto, quando uma decisão judicial ou desistência acontece após a atualização das urnas, o nome e dados do candidato poderão constar na urna no dia da eleição. Caso um eleitor vote em um desses candidatos, seu voto será considerado nulo.

Nas eleições de 2008, 6,3% dos 379,8 mil candidatos que pediram registro ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foram considerados inaptos, e, dessa forma, não puderam ser eleitos. Com a possibilidade da Lei da Ficha Limpa entrar em vigor, muitas candidaturas podem ser canceladas perto do dia das eleições.


O cientista político Paulo Roberto acredita que a maioria dos eleitores só decide seu voto na véspera da eleição. Foto por Débora Lemos

Na avaliação do cientista político Paulo Roberto Figueira Leal, da Universidade Federal de Juiz de Fora, esses casos são pontuais e não chegam a ter um nível de significação suficiente para alterar o rumo de uma eleição. “Se você diluir o número de eleitores totais que já não votariam, mais os que votariam em outro candidato, acaba não contaminando o resultado total do resultado.” Ouça a entrevista na íntegra!

De acordo com o TSE, até o dia anterior da votação, os candidatos a presidente, governador e senador podem ser substituídos caso fiquem inaptos por algum motivo. Neste caso, se a carga já tiver sido feita pelo tribunal, o novo candidato concorre com foto, nome e número do candidato antigo.

A comerciante Norma Silva acredita que os partidos políticos deviam se preocupar mais em conhecer o passado dos candidatos para que essa desistência não ocorra e os eleitores despediçem seus votos. “Eles deviam procurar saber direito e se tiver que trocar de candidato, informar a gente para não acontecer isso”. Escute o comentário completo

Deixe um comentário

Arquivado em Política

Blogs se tornam difusor de idéias e ferramenta de Marketing empresarial

Por Débora Lemos


Blog serve como ferramenta de comunicação interna na Acesso Comunicação Jr. Foto por Débora Lemos

Já passou o tempo em que os blogs funcionavam apenas como diário pessoal.  Eles conquistaram espaço no dia-a-dia de pessoas e empresas e tem funções variadas. Hoje em dia, é considerado uma forma de comunicação, produção, disseminação de conhecimento e até mesmo uma ferramenta de marketing empresarial.

Assim como outras ferramentas na internet, a blogsfera sempre gerou polêmica e desconfiança nas pessoas. Mas as possibilidades de interatividade, imediatismo, multimidialidade e hipertextualidade logo a tornaram uma poderosa ferramenta para os que sabem utilizá-la de forma correta. A estudante de Comunicação Social, Roberta Furtado, afirma que apesar de alguns blogs não serem confiáveis, ela acredita que existem os que servem como fonte de informação. “Também acho que eles servem como forma de divulgação e promoção de ações e tendências”.Ouça o comentário completo.

As empresas atuais já perceberam as potencialidades dos blogs. Usados pelas corporações como ferramenta estratégica de Marketing na divulgação da marca, no relacionamento com clientes e na comunicação interna.

A consultora de Marketing da Acesso Comunicação Jr, Gisele Ribeiro, conta que a empresa júnior criou o blog “Clube do Boss” como uma ferramenta de comunicação interna que se mostrou bastante eficaz. “Ele serve para levar conhecimento para os consultores da empresa, divulgar os projetos feitos por eles e ao mesmo tempo serve como uma ferramenta de motivação”. Ouça a entrevista na íntegra!


Blog pode oferecer a Cleiton Martins a chance de publicar um livro. Foto por Débora Lemos

E não são somente as empresas que se beneficiam com a divulgação de idéias. O estudante Cleiton Ribeiro Martins começou seu blog “Sensações de um mundo só meu” para armazenar suas poesias. Hoje ele concorre ao Prêmio Blog Books, que transforma em livro os blogs vencedores. “A idéia inicial do blog era só para me expressar, mas acabou surgindo a oportunidade de participar do Prêmio e achei interessante meu blog se tornar um livro. Esse se tornou agora meu objetivo. E com essa participação consegui seguidores de bloguers até de outros estados”.Confira a conversa completa com Cleiton Martins!

Mas ter um blog também requer cuidados. Assim como ele serve para divulgar uma imagem, ele também pode prejudicá-la. É importante manter uma atualização constante, e ter atenção para o conteúdo postado. Gisele afirma, “o blog pode ser visto por qualquer pessoa. Quando alguém lê a matéria, além dessa informação, a pessoa também absorve toda a bagagem e imagem que a empresa ou pessoa quer transmitir”.

Deixe um comentário

Arquivado em Webjornalismo

Nova gestão do DCE promete melhorar o cotidiano dos estudantes da UFJF

Por Luíza Medeiros

Eleita no último dia 16, a chapa “Um Novo enredo”, se prepara para estar a frente da gestão de 2011 do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Para escolher a chapa que irá suceder a atual gestão da “Outras Palavras”, as eleições contaram com outras três chapas concorrentes: “Nadando contra a corrente”, “A próxima ação” e “Eu quero é mais”.

Ao todo, 108 alunos, de diferentes cursos, compõem a “Um Novo enredo”, que traz 20 estudantes da gestão anterior. Fora essas pessoas que já faziam parte do Diretório, a atual gestão é composta em sua maioria por calouros, pessoas que se organizavam em CAs e DAs e que se organizavam em fundos de formatura. 

Segundo a aluna de ciência da computação e coordenadora-geral  da chapa “Um novo enredo”, Myreli Cardoso, o principal objetivo da próxima gestão é que o DCE volte a cumprir sua principal função enquanto entidade, ou seja, representar os estudantes da UFJF. “A intenção é resolver pequenos problemas que mudam o cotidiano do estudante na UFJF. Parecem propostas pequenas, mas que fazem a diferença na nossa vida”.

Uma dessas ações visa à volta do uso da certeirinha no formato de cartão, uma vez que as de papel utilizadas atualmente são extremamente frágeis e estragam com facilidade. Ainda falando da carteirinha, Myreli explica que a chapa também tem planos para facilitar o acesso dos estudantes ao selinho que dá direito a meia entrada. “Como o DCE não fica constantemente aberto, a proposta é fazer com que os selos sejam distribuídos nas unidades, através de uma articulação com CAs e DAs”. Essa proposta veio em resposta às críticas de que a sede do Diretório é encontrada muitas vezes fechada, dificultando o acesso do estudante ao selo.

Sede do DCE da Universidade Federal de Juiz de Fora Foto: Luíza Medeiros

Oferecer Wireless no campus também está na lista de prioridades da nova gestão. Myreli compara a UFJF com outras instituições e ressalta que, universidades menores já oferecem essa facilidade aos seus alunos. A internet sem fio liberada em toda a extensão da universidade, além proporcionar mais comodidade aos estudantes, também vai contribuir para desafogar os infocentros.  Essas melhorias no dia a dia do aluno são fundamentais, disse a coordenadora-geral, que afirma que “é isso que o estudante está precisando: ele quer saber o que o DCE pode fazer por ele enquanto estiver nesse período que passa dentro da universidade”.

Questionada sobre a filiação de membros do DCE a partidos políticos, Myreli lembra que apenas dois dos 108 alunos que compõem a chapa estão nessa situação e afirma que não são vistos problemas quanto a isso. “O que não podemos deixar acontecer é achar que o DCE vai ser uma ramificação do partido”. Ainda sobre o assunto, ela fala sobre essa questão da política externa do Diretório: “é preciso resolver os pequenos problemas, arrumar a casa primeiro, para depois pensar em uma política externa. O DCE tem que estar mais voltado para a UFJF do que para uma política fora do Campus”.

Outro foco da atual gestão será melhorar a comunicação entre o DCE e os alunos da UFJF. Como não há condições de fazer materiais impressos para ser entregues aos estudantes com freqüência, a alternativa será investir nos meios de comunicação virtuais.  “É importante ter um site, um blog, um twitter, entre outros, para que o DCE possa se comunicar com os alunos com maior rapidez. Por exemplo, quando o DCE for em uma reunião de Consul, no dia seguinte já poderá estar disponível para todos os alunos o que foi decidido nessa reunião”.

Escute aqui, na íntegra, a entrevista com a Coordenadora-geral da chapa eleita, Myreli Cardoso

Responsável por representar os interesses de mais de 15 mil alunos perante a administração superior da UFJF, além de realizar mobilizações ligadas ao movimento estudantil em geral, o DCE é organizado em cargos. Além da diretoria (confira no quadro abaixo), os demais membros são divididos em funções de seu interesse e facilidade a partir de um Seminário de Gestão, em que todos devem estar presentes.

Diretoria da chapa eleita, "Um Novo Enredo" Por Luíza Medeiros

Deixe um comentário

Arquivado em Política