Arquivo do dia: setembro 15, 2010

Representatividade feminina é baixa nas eleições 2010

Por Mariana do Amaral Antunes

A cidade de Juiz de Fora conta hoje com mais de 378 mil eleitores. Destes, quase 175 mil são homens e o restante – a maioria, cerca de 203 mil -, mulheres, que representam 53% do eleitorado juiz-forano. O levantamento é do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que observou um aumento de 6,9% de mulheres que irão votar na cidade desde a eleição de 2006.

Na contramão desse crescimento do eleitorado feminino, o número de mulheres candidatas ainda é baixo. Nas eleições 2010, apenas três mulheres com domicílio eleitoral em Juiz de Fora concorrerão este ano: Nair Guedes (PcdoB) e Viviane Ferreira (PV), que concorrem ao cargo de deputada estadual; e Margarida Salomão (PT), que pleiteia uma vaga de deputada federal.

Os números vão contra à norma que estabelece um espaço mínimo de 30% nos partidos para serem preenchidos por candidaturas femininas. A Lei 12.034/09, conhecida como Lei de Cotas, foi criada com o objetivo de tentar mudar esse cenário e reforçar a igualdade de direitos entre homens e mulheres, aumentando a representatividade feminina na política, que hoje é observada no eleitorado, mas não nas candidaturas.

Para a pesquisadora Cláudia Lahni, "lugar de mulher é em qualquer lugar"

Para a pesquisadora e professora Cláudia Lahni, integrante do Grupo Feminista Maria Maria, a presença das mulheres na política é fundamental, mas a participação efetiva está ligada a uma sociedade que seja, de fato, igual para homens e mulheres.

“Não adianta ter leis que estabeleçam direitos iguais se, na prática, isso não acontece. No caso da Lei de Cotas, é preciso haver uma fiscalização efetiva junto às legendas para que esse contexto se transforme de verdade”, defende Cláudia.
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Política

Trabalho duplo

Câmara Municipal de Juiz de Fora (foto Gabriela de Carvalho)

Por Gabriela de Carvalho

Todos os anos durante as eleições vemos políticos que exercem cargos nas Câmaras Municipais se candidatarem às eleições como Deputados Estaduais e Federais.

Com isso, sempre existe a dúvida se eles continuarão trabalhando normalmente ou se terão algum tipo de licença ou recesso para se engajar em suas respectivas campanhas.

Porém, segundo a assessoria da Câmara Municipal de Juiz de Fora, não existe lei que dê ao vereador o direito de se ausentar de suas obrigações políticas em tempos de eleição. Sendo assim, o trabalho no legislativo continua, enquanto os políticos fazem, ao mesmo tempo, suas campanhas à Câmara Federal.

Mas será que essa coincidência de tarefas é prejudicial?

Ainda segundo a assessoria, essa jornada dupla não atrapalha ou interfere no desempenho das atividades normais de cada político. Eles possuem uma agenda rigorosa e planejam tudo para que seja possível conciliar trabalho e campanha.

Mas nem todos acreditam que seja possível se dedicar com a mesma presteza a essas duas atividades simultaneamente.

Ouça sonora da estudante  Juliana Netto

Uma vez eleito, o político tem que deixar o cargo para se preparar para a Câmara Federal. Um suplente é chamado para ocupar seu posto até o final do mandato.

Confira quais os vereadores de Juiz de Fora estão concorrendo às eleições 2010:  Flavio Cheker, Isauro Calais, Rodrigo Mattos, Bruno Siqueira e Julio Gasparette.

Deixe um comentário

Arquivado em Política