Eleição deste ano promete ser a mais segura da história

Sistema de votação do Brasil é um dos mais seguros dp mundo.

Por Giovana Matias

As eleições de três de outubro estão chegando e elas devem ser as mais seguras e confiáveis da história. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) adotou algumas medidas para tornar a votação mais eficaz e a prova de fraudes.

Uma dessas medidas foi a obrigatoriedade da apresentação de um documento de identificação com fotografia junto com o título de eleitor no momento da votação. Antes, apenas o título era suficiente para o cidadão votar.

O objetivo desta norma é garantir que pessoas não votem por outras. O estudante de medicina Luis Fernando Carvalho aprovou a ideia. “Tudo que for para trazer mais segurança e mais transparência é algo positivo, além de ser incômodo nenhum estar com um RG ou carteira de habilitação, já que normalmente as pessoas andam com estes documentos”.

A identificação biométrica é outra medida para ajudar a excluir a possibilidade de pessoas votarem por outras. No dia da votação, o eleitor apresentará os documentos e terá sua identificação confirmada através de sua digital. Para o presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, o uso do sistema biométrico vai acelerar o processo de votação além de garantir maior segurança ao eleitor e aos Tribunais Regionais Eleitorais (TRE´s). “Estamos otimistas com o processo biométrico porque vai agilizar a identificação dos eleitores”.

Ouça o ministro falando sobre a segurança do processo biométrico.

Nestas eleições, a tecnologia será usada em 60 municípios de 23 estados, totalizando mais de um milhão de eleitores. Esse sistema de identificação foi testado pela primeira vez nas eleições de 2008 em três cidades. A previsão é que nas eleições de 2018 todas as seções de votação estejam equipadas com a identificação biométrica.

No ano passado, o TSE já havia feito testes para descobrir se as urnas eletrônicas eram vulneráveis a “hackers”. A conclusão foi que o sistema está protegido contra fraudes. Ao todo 37 especialistas em computação tentaram burlar a segurança das urnas, todas sem sucesso.

Capa do livro " Fraudes e Defesas do voto eletrônico"

Confiabilidade colocada à prova

Em 2008 o Instituto Nexus realizou uma pesquisa a pedido do TSE e constatou que 97% dos eleitores aprovam a urna eletrônica. Muito desta aprovação se deve a segurança que eles sentem ao votar no sistema eletrônico.

Mas nem todos confiam plenamente que a urna eletrônica é a prova de fraudes. Existem sites como o “fraude urnas eletrônicas” e o “voto eletrônico” além do livro “Fraudes e Defesas do Voto Eletrônico” que duvidam da segurança do sistema. Em geral eles dizem que a urna é como um computador e, portanto está suscetível a interferências maliciosas que possam adulterar os resultados da votação.

Porém o ministro afirma que os testes feitos nas urnas comprovam a segurança das mesmas.

“Nós fizemos uma convocação para o teste público de segurança das urnas. Convidamos a qualquer cidadão a testar  durante uma semana os equipamentos. E foi compravada a eficácia do sistema.”

Ouça o que o ministro disse sobre o teste público de segurança das urnas.

Deixe um comentário

Arquivado em Política

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s