As várias faces do DJ

Por Isabel Miranda e Luíza Medeiros


Luzes, performances, tecnologia e música. A união desses elementos transformou a profissão do Disc Jockey, ou DJ, da atualidade. A profissão que inicialmente era muito difícil e cara no Brasil, hoje é muito mais acessível e inovadora.

Enquanto a Era Disco, na década de 70, agitava os clubes em outros países, aqui no Brasil os DJs tinham pouquíssimo espaço nas rádios e dificuldades para se atualizar. Comprar a sua principal ferramenta de trabalho, os vinis, dependia de viagens ao exterior. Muitas vezes, isso fazia com que os profissionais brasileiros ficassem desatualizados.

O iPhone DJ Mixer mixa músicas de aparelhos ligados simultaneamente.

Atualmente, o acesso a música, através de CDs e, principalmente, da internet, além da facilidade em ter contato com equipamentos e programas de mixagem, fazem com que a profissão se popularize. Diante disso, tem surgido uma avalanche de novos DJs fazendo com que seja cada vez mais importante ter um diferencial para se destacar no mercado.

Segundo o DJ residente da casa noturna de Juiz de Fora, Privilège, DJ Eve, a necessidade de diferenciação na área é fundamental para evitar a banalização da profissão. Confira a entrevista com o  Eve.

(Leia mais sobre a história do DJ e as inovações da atualidade)

É show!

Fugir do lugar-comum é também uma preocupação do DJ Moa, que divide o comando da pista nas noites da Privilège com o DJ Eve. Formado em artes cênicas e jornalismo, ele conta que hoje o DJ busca ser um artista. Atuar e criar personagens é uma alternativa. Escute o que Moa tem a dizer.

Com o surgimento das raves a imagem do DJ mudou. Agora, eles fazem tours pelo mundo, se associam às marcas e são aguardados por milhares de pessoas. As apresentações viraram verdadeiros shows.

Antes da apresentação, Gustavo Bravetti testa todos os instrumentos de sua mesa de som. (foto: Isabel Miranda)

Um dos grandes talentos na cena eletrônica atual é o uruguaio, Gustavo Bravetti. Pioneiro na arte do “Live Music Performance” seu trabalho ganhou reconhecimento no mundo inteiro. O artista constrói seu próprio software para produção musical. Gustavo utiliza-se das mais diversas formas para interagir com a música e com o público.

A tecnologia utilizada por Bravetti vai desde os “multi pad surfaces” (bateria eletrônica) e sensores de posição wireless, até luvas de realidade virtual e leds cujos movimentos no ar são utilizados para manipular a música.

Em uma esperada apresentação em Juiz de Fora, Bravetti conta sobre sua carreira e sobre a importância das novas tecnologias para o futuro da profissão. Acompanhe a apresentação e a entrevista de Gustavo Bravetti.

Tecnologia e arte. Essa mistura, segundo DJ Moa, é o segredo para o sucesso de Gustavo Bravetti. De acordo com ele, a Mese-en-scène é um atributo importantíssimo para a diferenciação do profissional. Confira o depoimento de Moa.

DJ Morango , renomado no cenário do funk de Juiz de Fora também acredita que Gustavo Bravetti é referência quando se pensa no futuro da profissão. Morango fala sobre suas experiências e ressalta que a interação com o público é fundamental para se destacar na área. Veja a entrevista.

Deixe um comentário

Arquivado em Especiais

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s