Greve dos bancários não tem data para acabar

André Cristino – 20/10/08

Desde o dia 8 de outubro o que mais se vê nos bancos são cartazes informando de greve. Naquela data, bancários de 16 agências na cidade aderiram à paralisação, o que causou transtornos para os que precisaram utilizar os serviços dos bancos.

Cartaz encontrado em várias agências da cidade

Cartaz encontrado em várias agências da cidade

Segundo o Sindicato dos Bancários, sete estabelecimentos da Caixa e sete do Banco do Brasil, além de uma agência do Itaú e outra do Bradesco tiveram seu atendimento automático comprometido.
O presidente do sindicato, Marcos Louzada, afirma que a adesão variou de 80% a 90% nos bancos públicos. A assessoria do BB não apresentou percentuais, mas informou que, de todas as suas agências, apenas uma não teve condições de realizar o atendimento pessoal.

Já a assessoria da Caixa não informou números locais.
A greve dos bancos impede a realização de uma série de serviços. Entre eles, o pagamento de taxa para tirar carteira de identidade, os pagamentos sem código de barras, o recebimento de ordens de pagamento e, em alguns casos, pode complicar serviços simples, como depósitos e retiradas de dinheiro.

Foi isso que aconteceu com a estudante Nathalie Arruda. Natural de Viçosa, está em Juiz de Fora há dois

Nathalie também é atingida pela greve

Nathalie também é atingida pela greve

anos e encontra dificuldades para receber o dinheiro enviado pelos pais. “Tive que ir para Viçosa neste fim de semana porque estava precisando de dinheiro e minha mãe estava com medo de fazer o depósito e não ser compensado na minha conta”, explicou a estudante.

A categoria dos bancários cruzou os braços seguindo a orientação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf). No país, cerca de três mil agências foram paralisadas. Em assembléia na noite de ontem, ficou decidida a manutenção da greve por tempo indeterminado. Os bancários querem reajuste salarial de 13,23%, contra os 7,5% oferecidos pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).

Em assembléia na última sexta, dia 17, os bancários de Juiz de Fora decidiram permanecer em greve. Não houve nova proposta, apenas a de reajuste de 9% só para os que ganham até R$1.500,00 e 7,5% para os demais. O movimento julga que essa proposta é injusta, além de poder gerar divisões entre funcionários. A greve continua na segunda e nova assembléia foi marcada para hoje às 19h.

Anúncios

Uma resposta para “Greve dos bancários não tem data para acabar

  1. nao gostei de porra nenhuma!!!!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s