Prefeitura libera dinheiro para artistas, mas não garante edital 2008

                                                                                                                          André Castro – 27/10/2008

Finalmente saiu a terceira parcela da Lei Murilo Mendes. Demorou um pouco, só na segunda quinzena de

Livro amparado pela Lei Murilo Mendes

Livro amparado pela Lei Murilo Mendes

setembro o restante do dinheiro foi liberado. Com a verba deste ano, alguns trabalhos já foram concluídos, como a Mostra Audiovisual, que nos dias 23 e 25 de julho exibiu documentários aprovados pela Lei Murilo Mendes; o livro de poemas “Vertigens do tempo” do poeta juizforano Hernany Tafuri, que venceu a edição 2008 do Prêmio Poesia, Prosa e Arti Figurative, na Itália concorrendo na categoria Melhor Livro Estrangeiro de Poesia Jovem; e o livro de poesias de Ely Manoel Rosa, “O Coração de Darwin“, lançado no último dia 10. 

O atraso da última parcela atrapalhou muitos artistas da cidade. O livro “Desvios”, do escritor Darlan Lula, deve ser publicado somente agora, após a liberação do dinheiro. Ao saber que a terceira parcela estaria disponível, Darlan resumiu o que sentia em uma única frase. 

Quem mais sofre com o atraso da verba são os grupos de teatro. A peça “Dom

prefeito Carlos Eduardo Araújo propõe mudanças para Lei Murilo Mendes

prefeito Carlos Eduardo Araújo propõe mudanças para Lei Murilo Mendes

Chicote”, por exemplo, está pronta há algum tempo, mas falta um lugar para estrear, já que a data que o

grupo tinha conseguido no Teatro Solar não pôde ser confirmada por falta de recursos. “Agora, vamos ter que correr atrás de outras datas, pois a parte de produção, que inclui itens como cenário e figurino, já está pronta”, falou Gustavo Demetrius, diretor da peça.
O edital 2008 da Lei Murilo Mendes, que deveria ter sido lançado até o mês de maio, ainda não tem data para ser publicado. Com isso, não se tem certeza sobre quando os beneficiados irão receber o incentivo. O que se sabe é que o “ônus” deve ficar mesmo para a próxima administração.

 O atual prefeito, José Eduardo Araújo, fez elogios e críticas à Lei Murilo Mendes. “Não vou mudar nada nesses seis meses, mas acho que R$ 500 mil deveriam ser dados a projetos estruturantes, e a outra metade para o varejo”, sugere, criticando o acúmulo de livros e CDs produzidos a partir da lei de incentivo que estão nas dependências da Funalfa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s