Primavera é sinônimo de flores e catapora

Mariana Musse – 03/11/2008

Os casos de catapora ou varicela, como também é conhecida a doença, aumentam nesta época do ano – entre o inverno e a primavera. Por isso a catapora já que é considerada uma doença sazonal. Não se sabe explicar o por quê, mas já foi observado que o número de casos aumenta significativamente neste período.

Em Juiz de Fora, somente no mês de outrubro foram registrados mais de 65 casos na Secretaria Municipal de Saúde, e mais de 777 casos em 2008. A doença atinge principalmente crianças de cinco a nove anos, mas adultos também devem estar atentos, pois essa não é uma doença que se manifesta exclusivamente em crianças.

As pequenas bolhas que caracterizam a catapora ou varicela, aparecem cerca de duas semanas depois do primeiro contato com o virus varicela zoster.

As pequenas bolhas que caracterizam a catapora ou varicela, aparecem cerca de duas semanas depois do primeiro contato com o vírus varicela zoster.

A catapora é considerada uma doença benigna, pois não costuma trazer maiores complicações para os infectados. A pessoa que já teve a doença uma vez fica imune e, assim não corre o risco de tê-la mais uma vez.

Porém, em alguns casos, pode haver  complicações como infecções secundárias das lesões na pele, pneumonia, encefalite, artrite ou Síndrome de Reye (insuficiência hepática e coma). Essas complicações são raras, mas podem ocorrer em crianças muito pequenas, gestantes, pessoas portadoras de imonudeficiência ou que estão fazendo tratamentos como a quimioterapia, por exemplo.

O vírus pode ser contraído por meio de secreções respiratórias ou do contato com lesões de pessoas tenham a doença. O tratamento é feito apenas para amenizar alguns sintomas como febre, náuseas, coceiras; porque a doença desaparece sozinha, quando o  vírus completa seu ciclo.

Vacina

A vacina que previne a catapora não está incluida no Programa Nacional de Imunização, por isso o SUS só oferece a vacina em casos especiais.

A vacina que previne a catapora não está incluída no Programa Nacional de Imunização, por isso o SUS só oferece a vacina em casos especiais.

Pouca gente sabe, mas é possível se previnir contra a catapora tomando a vacina. Porém, ela só pode ser adquirida em clínicas privadas e uma dose custa, em média, R$88. Segundo o médico Mário Novaes, que trabalha numa dessas clínicas, não há contra-indicação para a vacina e ela pode ser tomada a partir de um ano de idade, em duas doses.  O médico explica que para crianças até 13 anos a segunda dose deve ser tomada depois de três anos. Já em pessoas com mais de 13 anos, a segunda dose é feita dois meses depois da primeira.

A enfermeira do Setor de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Maristela Batista, lembra que a vacina não é oferecida pelo SUS, por não está incluída no Programa Nacional de Imunização – feito pelo Ministério da Saúde. A enfermeira explica que em alguns casos especiais como pessoas com leucemia, síndrome de down, portadores do vírus HIV, profissionais da saúde, gestantes em exposição, entre alguns outros casos, podem ter um pedido feito por um profissional de saúde. Se ele for aprovado a pessoa tem direito a vacina pelo SUS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s