Tipificação de espécies

A tipificação é uma parte da botânica sistemática. Neste trabalho, o especialista reúne toda a literatura sobre as espécies já descritas (obras prínceps). Nas obras antigas, a maioria das referências não indica em que herbário está depositado o espécime. Então começa o trabalho de investigação do taxonomista: encontrar este espécime perdido. Ele pode estar em qualquer herbário do mundo. Mas se há referência sobre o nome do coletor desta planta, o trabalho torna-se mais fácil, pois é possível descobrir sua “nacionalidade” e ainda localizar onde sua coleção pode estar depositada. Assim, os prováveis herbários são visitados e procura-se a amostra na coleção de interesse. Quando é encontrada, ela torna-se o Typus desta espécie. Cada espécie, animal ou planta deve ter um espécime que a representa e nenhuma pode ficar sem o seu Typus. Uma outra situação é quando existe a certeza de que o Typus foi destruído, como no caso das espécies depositadas no Herbário de Berlim, destruído na 2ª Guerra Mundial. Como é possível encontrar duplicatas destes materiais em outros herbários, escolhe-se uma delas para ocupar o lugar do Typus perdido. Isso é a tipificação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s