Cinema de Borda

Zumbis e almas penadas invadem os cinemas

Fernanda Viana 03/06/2009

Cinema trash, independente, underground… O mais recente conceito dos filmes que fogem dos padrões comerciais é o cinema de Borda. Em Juiz de Fora, o Instituto de Artes e Design (IAD) da UFJF, através da Pró-reitoria de Cultura, apresentou uma mostra de cinema de Borda, no final de maio.

 

"Era dos Mortos", produção mineira de Rodrigo Brandão, exibida no Bordas Fora.

"Era dos Mortos", produção mineira de Rodrigo Brandão, exibida no Bordas Fora.

Cinema de Borda é um conceito criado pela professora e pesquisadora Bernadette Lyra. A realização é independente e apresenta a característica de ser uma produção audiovisual “subterrânea”, paralela e, muitas vezes, trash.

Para o idealizador da Mostra, pesquisador e professor do IAD, Alfredo Suppia, a ideia do Evento é mostrar para os estudantes produções que estão próximas a eles e que são viáveis. “O cinema e a TV, geralmente, estão muito associados aos grandes centros, e a descentralização é uma tendência atual. Em diversos pontos do Brasil, as pessoas produzem audiovisual com os recursos que têm.” Para o professor, incluir fatores regionais no roteiro e o baixo orçamento das produções fazem parte do cinema de Borda.

Durante a Mostra, muitos dos filmes apresentados, apesar da estética trash e produção quase caseira, contaram com histórias inusitadas, como diz o pesquisador em cinema, Lúcio Reis: “Filmes trashs, muitas vezes, são considerados ruins, mas não são. Eles trazem linguagens diferentes, através da criatividade, para compensar o pouco recurso“.

O filme Era dos Mortos, de Rodrigo Brandão, foi exibido na abertura do Evento. O Diretor conta que a produção do filme foi feita de traz para frente: “A gente fez o roteiro baseado nos recursos que a gente tinha. Por isso o custo foi muito baixo, cada um colaborou com o que podia”. Este foi o primeiro filme de Rodrigo, que disse ter se inspirado nos videogames e computadores para elaborar o roteiro.

Diretores renomados do cinema mundial começaram suas jornadas com filmes considerados trash, como Sam Raimi (Diretor de Homem-Aranha), que escreveu e dirigiu o filme de horror A Morte do Demônio (1981). Um incentivo para os aspirantes a cineastas, que veem no filme de borda uma entrada para mundo do cinema.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s