A longa e sinuosa estrada

Marcelo Martins 01/04/09

Em agosto do ano passado, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) alterou a resolução 285, que altera as regras em cursos para tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Entre as alterações, estão o aumento nas cargas horárias das aulas teóricas e práticas.

A resolução começou a valer em 01 de janeiro deste ano. Porém, além de ter a idade mínima de 18 anos, o tão esperado sonho de ter a permissão para dirigir um veículo ganhou mais um entrave: as filas. Muitas pessoas procuraram as auto-escolas juizforanas antes da resolução entrar em vigor. Resultado: tumulto para marcar e fazer as aulas.

Foi o que aconteceu com os irmãos Thanius (21) e Thales Sarchis (18), estudantes. Thanius já tirou a CNH de carro e agora tenta tirar a permissão para moto.”Quando eu estava tirando carteira de carro, repeti na primeira tentativa. O próximo exame só poderia ser realizado em mais de dois meses. Para sair bem no exame, tive que fazer nesse meio tempo mais aulas do que planejava”, disse Thanius. Cinco meses depois, tudo se repete.

Thales tenta tirar CNH para carro e Thanius para moto
Thales tenta tirar CNH para carro e Thanius, moto

“Hoje, que estou fazendo aulas de direção para moto, a coisa não melhorou muito. Se eu repetir em um exame, o próximo é marcado para um mês depois. É muito tempo”, afirma inconformado. O irmão mais novo teve que refazer algumas aulas para tirar a habilitação de automóvel. “Os atrasos nas auto-escolas me atrapalharam, pois com a implantação da biometria cheguei a perder dez horas de aulas que eu já havia feito. Por isso, tive que começar tudo de novo”. Ele teve que mudar o horario das aulas de inglês e sair da natação para se dedicar a Auto Escola. “Faço de tudo para que isso acabe logo. Está me atrapalhando muito. Mas é o preço que a gente paga para ter a carteira na mão e ficar independente.”

Para a jornalista Ana Carolina Cirino, a taxa de reprovação é muito alta. “Com isso, as auto-escolas não conseguem despachar os alunos antigos e receber os novos. Existe uma demanda muito maior de alunos para aulas de direção do que as auto escolas tem conseguido receber”, critica. Ela teve que desmarcar compromissos para se dedicar às aulas. “Tive que priorizar a auto-escola. Um ou outro compromisso fez com que desmarcasse. A realidade faz com que tenhamos uma certa dedicação para tirar CNH”.

O outro lado

Nilton Scoralick, 35, proprietário de uma auto-escola, reconhece que as mudanças acarretaram no faturamento da empresa e na falta de paciência dos alunos. “Por um lado as pessoas reclamam que vão ficar mais tempo discutindo trânsito. Mas, na realidade, esse tempo a mais serve para debater e discutir o trânsito no dia-a-dia. Isso é muito positivo.” Ele disse que a procura pelas aulas aumentou em 40% na sua auto-escola, desde outubro do ano passado. “Muitos estudantes nos procuraram para fazer aulas nas férias. Isso também influenciou na alta procura pelas aulas. Teve gente que começou as aulas em dezembro e ainda não terminou”, analisa Nilton.

Ele cita outros motivos e disse que a educação no trânsito deve comecar desde cedo. Ouça aqui a entrevista completa.

Nilton também informou que, em média, o preço para tirar a habilitação custa R$ 750,00.

Uma resposta para “A longa e sinuosa estrada

  1. Pingback: Destaques da Edição 01/04 a 08/04/2009 « Juiz de Fora Online

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s