A representação dos manicômios na telona

Wagner Emerich – 27/05/09

Um dos filmes do cinema brasileiro mais comentados sobre o tema é “O Bicho de Sete Cabeças”, estrelado por Rodrigo Santoro e dirigido por Laís Bodanzky. Ele foi inspirado em uma história real e mostra muito bem como é a realidade de muitos hospitais psiquiátricos no país. O filme é baseado no livro de Austregésilo Carrano Bueno, “Canto dos Malditos”, onde ele conta sua experiência nos hospitais psiquiátricos e denuncia os absurdos cometidos diariamente nessas instituições.

Com 17 anos, Austregésilo era usuário de maconha e outros medicamentos de uso restrito. Quando seu pai encontrou alguns cigarros de maconha no bolso de sua jaqueta, resolveu interná-lo em um hospital psiquiátrico para tratar o vício do filho. Em um período de três anos, Austregésilo foi transferido de um hospital a outro sem ao menos ter sido examinado, e submetido a torturas e eletrochoques (totalizando 21 sessões). Isso durou até que, desesperado, ateou fogo em sua própria cela, sendo retirado a tempo. O ato despertou seu pai, que o tirou do manicômio. Desajustado pelos eletrochoques, pela sedação pesada e pelas torturas variadas, ele acabou sofrendo também nas mãos da polícia, que lhe proporcionou doses extras de humilhação e espancamento.

Austregésilo foi o representante nacional da luta antimanicomial e no dia 28 de maio de 2003 foi homenageado pelo Ministério da Saúde e pelo presidente Lula, por sua luta e empenho na Construção da Rede Nacional de Trabalhos Substitutivos aos Hospitais Psiquiátricos no Brasil.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s