Atenção à saúde feminina: uma preocupação pública

Mariana Franzini – 11/03/09

A preocupação com a saúde da mulher tem excedido cada vez mais os limites individuais, tornando-se habitualmente alvo de políticas públicas. Nas últimas décadas, governos federal e municipais implementaram uma série de programas junto ao sistema público de saúde que visam especialmente as mulheres, da infância à terceira idade.

Campanha do Carnaval 2009 prioriza mulheres acima de 50 anos

Campanha do Carnaval 2009 prioriza mulheres acima de 50 anos

Este ano, o Ministério da Saúde destinou às mulheres com mais de 50 anos sua campanha de prevenção da AIDS no carnaval, o “Bloco da Mulher Madura”. Segundo dados do Ministério cerca de 70% das mulheres nessa faixa etária dispensam o uso do preservativo. O combate à feminização da doença ocorre em meio a um número de mulheres infectadas pelo HIV cada vez mais próximo ao de homens (1,4 mulheres por homens soropositivos). Em 1985, para cada mulher com o vírus havia 26,5 homens infectados.

Ainda na década de 80, o governo lançou um programa que introduzia uma atenção diferenciada à saúde das brasileiras – o Programa de Assistência Integral à Saúde da Mulher (PAISM) tendo em vista a qualidade de vida da mulher, o conhecimento do seu corpo e de sua sexualidade. Somam-se a esta iniciativa programas como o planejamento familiar, prevenção do câncer de mama e de colo de útero

Ações Locais

Em Juiz de Fora, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Departamento de Saúde da Mulher oferece atendimento diferenciado às usuárias. De acordo com Dr. Elídio Goulart, ginecologista e responsável pelo departamento, diversos programas estão disponíveis às mulheres da cidade. “O acompanhamento pré-natal de alto risco, atendimento especializado em mastologia, laqueadura e climatério são alguns dos serviços oferecidos aqui”, ressalta o médico. Além destes existem grupos de apoio a pacientes mastectomizadas e a pacientes com DST.

O projeto da professora Adriana Leite atenderá gestantes em duas UBS

O projeto da professora Adriana Leite atenderá gestantes em duas UBS

O projeto “Ginástica para Gestantes”, da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), elaborado pela professora Adriana Leite, da Faculdade de Educação Física e Desportos (FAEFID), foi criado como piloto em 2003 na Casa de Parto. Para a idealizadora do projeto a ampliação no atendimento será um grande avanço para as gestantes. “Só tínhamos esse tipo de acompanhamento na Casa de Parto”, lembra Adriana. A partir deste ano o projeto atuará em parceria com Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos bairros São Pedro e Santos Dumont.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s