Formar pra quê?

Ana Carolina de Melo – 01/04/2009

Uma colocação no mercado de trabalho.  Esse tornou-se o desafio de milhares de jovens que se formam, todos os anos, nas centenas de instituições de ensino superior espalhadas pelo país. Se há poucas décadas, concluir um curso de graduação representava um diferencial na busca por  um emprego, hoje, a realidade é bem diferente. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), um em cada quatro brasileiros que se formaram no ensino superior de 1995 a 2005 não está empregado.

Para a recém formada em Turismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Paula Fonseca, as más perspectivas no mercado de trabalho contribuem para o desestímulo e a insegurança dos novos profissionais. Segundo ela, se tivesse a mentalidade que tem hoje no momento da decisão profissional, certamente, teria feito outra escolha: “As oportunidades  de  emprego na área de Turismo são, na maior parte dos casos, desestimulantes”.

Formandos do 2° semestre de 2008 da UFJF. O mercado é o novo desafio desses profissionais

Formandos do 2° semestre de 2008 da UFJF. O mercado é o novo desafio desses profissionais

A dificuldade de inserção no mercado tem como agravante o fato de determinadas áreas estarem, hoje, nitidamente saturadas. Das 12 instituições de ensino superior de Juiz de Fora, oito delas oferecem vagas nos cursos de Administração e sete no de Direito. São 1400 novas vagas disponibilizadas, todos os anos, para os futuros administradores e 980  aos novos advogados.  Em terceiro lugar aparece o curso de Educação Física que oferece 420 vagas anuais. (Confira tabela com os cursos e as instituições de ensino de Juiz de Fora)

Para a Coordenadora de estágios da UFJF, Adriana Mota, a dificuldade de inserção dos recém-formados no mercado profissional se deve ao pouco crédito atribuído pelos acadêmicos às experiências de estágio: “a maior parte deles permanece por quatro ou cinco anos dentro Universidade sem construir os links necessários com o mundo produtivo”.

Programas de trainee são uma boa oportunidade de inserção profissional

Programas de trainee são uma boa oportunidade de inserção profissional

A coordenadora destacou os programas de trainee como uma investida acertada para os que visam empregabilidade: “atualmente, a UFJF disponibiliza muitos desses programas de seleção, em sua página na internet. Há vagas em todas às áreas”. A busca por especialização, o conhecimento de outros idiomas e o domínio de ferramentas de informática ligadas ao campo de atuação profissional foram citados como absolutamente necessários: “o estudante, hoje, deve buscar diferenciação.”

Confira aqui dicas para se fazer um bom currículo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s