Mulheres na Política

Vereadora Ana do Pe. FredericoThalita Gonçalves – 11/03/2009

Houve uma época em que elas não tinham sequer direito ao voto e só podiam dar alguma ordem dentro de casa, mesmo assim depois do marido. Com o passar do tempo, as coisas mudaram e elas, cada vez mais, ganham poder e voz de comando. É assim nos diversos setores e também na política.

Segundo o TSE, só em Minas Gerais são 51 mulheres como chefes do Executivo, mostrando um crescimento de 24,3% em relação a eleição anterior. Grandes cidades como Contagem, Betim e Governador Valadares integram essa estatística..

Juiz de Fora quase fez parte dessa realidade, já que teve pela primeira vez uma candidata ao cargo de Prefeita disputando o segundo turno das eleições, a Margarida Salomão (confira o vídeo do que ela tem a dizer sobre a experiência).

“O que falta em nossa cidade é união”, explica a única vereadora de Juiz de Fora, Ana Rossignoli (Ana do Pe. Frederico). “As mulheres são muito invejosas e não permitem a articulação mulher vota em mulher. Além disso, o machismo e o preconceito dificultam a arrecadação de recursos para uma campanha feminina”, complementa. (foto)

Para garantir mais espaço para as mulheres, foi criada a Lei nº 9504/97, dizendo que cada partido deve reservar no mínimo 30% e no máximo 70% dos cargos para cada sexo. Entretanto, o levantamento feito pela Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) demonstra que nenhum partido, na última eleição, cumpriu a cota mínima no total de candidaturas para as câmaras municipais. Observe que a lei obriga a reservar e não a preencher. Saiba mais sobre as políticas públicas voltadas para a igualdade entre homens e mulheres no site http://www.maismulheresnopoderbrasil.com.br/

O incentivo à participação política das mulheres deve ser uma constante tanto quanto a promoção de políticas de enfrentamento ao racismo e ao sexismo. “Os princípios da igualdade e respeito à diversidade nos espaços de poder e decisão, seja na iniciativa privada, ou nos poderes públicos, devem ser respeitados”, adverte Diogo Tourino, Cientista Político e professor da UFJF (confira o que ele fala sobre a situação da mulher na política de Juiz de Fora – áudio).

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s