Arquivo do autor:valentimjr

Cinema nacional ganha espaço nas telas e atrai o público

Em 2010, 135 milhões de brasileiros viram produções feitas no país

Por Valentim Junior

A cada ano, os brasileiros frequentam mais as salas de cinema para ver filmes nacionais. Desde meados da década de 90, intitulada a época da “retomada”, que os filmes produzidos no Brasil ganham espaços nas telas e no gosto popular. Em 2010, “Tropa de Elite 2” levou mais de 11 milhões de brasileiros ao cinema. Este número superou o recorde de público de um filme nacional que era de “Dona Flor e seus dois maridos” (1976), assistido por 10,7 milhões de pessoas.

E o famoso filme do Capitão Nascimento também bateu outros campeões de público, mesmo aqueles estrangeiros. Em 2009, “Era do Gelo 3” foi visto por 9,3 milhões de brasileiros e “Avatar” por 9,2 milhões. Os números mostram que as produções do país ganham espaços também na disputa com as internacionais.

Existe uma justificativa para esse crescimento? Além dos investimentos nas produções audiovisuais da Globo Filmes  e de produtores independentes, existem outros fatores. De acordo com o sociólogo, mestrando em Comunicação pela USP e professor do departamento de Comunicação Social da Universidade de Taubaté, Rafael Grohmann, as temáticas da realidade brasileira estão chegando às telas de cinema, aproximando as pessoas cada vez mais. “’Central do Brasil’, ‘Cidade de Deus’, ‘Carandiru’ e ‘Tropa de Elite’, por exemplo, são filmes que olham o Brasil sob um enfoque sociológico mesmo, tentando explicar o porquê de suas desgraças”, destacou.

E é exatamente o retrato da sociedade brasileira no cinema que atrai a estudante de Comunicação da UFJF, Laura Kiffer. “Diferentemente das novelas, o cinema nacional é capaz de retratar a realidade do país”, realçou.

Temática social presente nas telas

Grohmann destaca que as temáticas sociais estão fortemente associadas aos filmes brasileiros e, com isso, acabam de, certa forma, restringindo outros fatos também retratados nas produções nacionais. “O público já tem uma mentalidade formada de que drama bom é americano, e de que o espaço para o cinema brasileiro é restrito. Essa classificação e certo preconceito estão inscritos nas locadoras, já que têm dividido os filmes em drama, comédia, romance, terror e nacional. É como se não tivesse romance nacional, drama nacional, terror nacional”, explicou.

Para o estudante de Relações Públicas da PUC/ Campinas, Joaquim Ferreira, os temas sociais acabam atraindo o público pela facilidade de serem assimilados e não pela reflexão. “É muito mais fácil despertar o interesse por filmes que retratam a realidade do que por filmes que apenas contam histórias que não enquadram as pessoas. Isso ocorre, principalmente, com pessoas menos esclarecidas ou menos intelectualizadas, que apenas sentem, mas não refletem”, opinou.

Por esse e outros motivos, o sociólogo destaca que o brasileiro anda cansado de filmes com temas sociais. “A saga ‘Tropa de Elite’ foi a única da temática, dos últimos anos, a fazer sucesso. Não sei o que pode acontecer, mas torço muito para que novas temáticas ganhem espaço no cinema brasileiro”, enfatizou.

Cinema nacional em números

Os índices de público revelam a grande evolução que teve o cinema nacional. Um exemplo é que em 1993, por exemplo, apenas 0,1% (45,5 mil pessoas) do total de espectadores de cinema viam obras nacionais. Já em 2003, somente 10 anos depois, 21% (22 milhões de pessoas) acompanhavam o cinema nacional.

Em 2010, 9 longas-metragens tiveram, conjuntamente, um público superior a 20 milhões de pessoas, revelando uma grande aceitação do povo brasileiro às produções locais. No mesmo ano, 135 milhões de brasileiros viram obras nacionais, alavancando os números de 2009 (112,7 milhões) e 2008 (89,1 milhões). Além disso, desde 2003, somente os 10 filmes mais vistos totalizam mais de 48 milhões de espectadores.

Veja a tabela de filmes mais vistos desde 2003

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Cultura e Arte

Sport vence 1° de Maio e mantém liderança

Verdão chega a 12 pontos em quatro jogos, enquanto 1° de Maio fica na lanterna sem pontuar na competição

Por Valentim Junior

Juiz de Fora é representada por suas três equipes mais tradicionais no Campeonato Mineiro de Juniores. Sport Club Juiz de Fora, Tupi e Tupynambás estão no Grupo C da competição, e no sábado, 16 de abril, o Verdão da Avenida recebeu a equipe do 1° de Maio no Estádio Procópio Teixeira. O jogo válido pela quinta rodada da competição confirmou a boa fase do time juizforano, que venceu por 3 a 1 e manteve 100% de aproveitamento.

Com o resultado, o Sport chegou aos 12 pontos em quatro jogos e manteve, isoladamente, a liderança do grupo C. Já a equipe do 1° de Maio segue sem somar pontos na competição, amargando a lanterna da chave. Encerrados os jogos de ida, agora as equipes voltam a se enfrentar na ordem inversa, portanto, 1° de Maio e Sport já se encontram na próxima rodada, dia 23, em Ervália.

Confira os resultados e classificação do Campeonato Mineiro de Juniores clicando aqui.

Primeiro tempo movimentado

Embalado pela boa campanha, o alviverde iniciou o jogo com maior posse de bola e criando as melhores oportunidades. Aos 16, o lateral Maicon quase marcou de cabeça. Aos 20, o atacante Michel, do Verdão, fez bonita jogada e bateu cruzado, mas a bola foi para fora. Na sequência, mais uma vez Michel teve a oportunidade, mas desperdiçou, inacreditavelmente, debaixo da trave. O 1° de Maio assustava o time de Juiz de Fora com chutes de longa distância, sempre explorando o contra-ataque.

Aos 37, no entanto, quem aproveitou o contra-ataque foi o Sport. Jorge Lucas carregou a bola passando pelos adversários e dentro da área foi derrubado. O pênalti foi marcado, e, na cobrança, Zé Eduardo balançou a rede, abrindo o placar. No entanto, a equipe visitante partiu para cima em busca do empate, e, aos 43, após cruzamento da direita, a bola desviou na defesa e entrou. A arbitragem confirmou o gol para o meia Ricardo Lopes, que cobrou a falta. No minuto seguinte, outro pênalti para os donos da casa. Outra vez o atacante Jorge Lucas foi derrubado na área, e Zé Eduardo convertou a cobrança: 2 a 1.

Segundo tempo com muitos erros

Com a vantagem no placar, o Sport manteve mais a posse de bola, mas esbarrou na boa marcação realizada pela equipe visitante. Já o 1° de Maio arriscou muito pouco, quase não criando oportunidades de gol.

Os melhores lances do segundo tempo foram aos 34, quando, de peixinho, o zagueiro Sargento marcou o terceiro gol do alviverde e, já nos acréscimos, quando Bruninho Mattos foi derrubado na área, em mais um pênalti para o time da casa. Na cobrança, Jorge Lucas chutou muito mal, colocando a bola para fora. “A equipe sobressaiu mais uma vez no preparo físico, mas não foi bem, porque desperdiçou muitas chances de gol. Acredito que com mais um ponto já garantiremos a classificação”, destacou o técnico do Sport, Rafael Novaes.

Outras informações do Sport no site do clube.

Deixe um comentário

Arquivado em Esporte

JF segue praticamente estagnada na criação de empregos

Por Valentim Júnior

Foram criadas 38 vagas, mas o saldo é negativo durante o primeiro trimestre de 2011

O número de empregos gerados em Juiz de Fora no mês de março foi o pior no período desde 2003, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. Foram registrados apenas 38 novos postos de trabalho na cidade, em um saldo de 5242 contratados e 5204 demitidos. Em Minas Gerais, Juiz de Fora ocupou a 44° posição no ranking.

O crescimento foi de apenas 0,03%, muito próximo da estagnação. Os setores que mais geraram emprego foram a construção civil, 168, e a área de serviços, 93. Já o comércio, -178, e a indústria de transformação, -43, foram as que mais demitiram. Em comparação ao mesmo período do ano passado, Juiz de Fora teve uma queda bastante considerável, já que foram criados 587 empregos em março de 2010.

Veja a tabela completa

Mês de março é o melhor do ano

Embora ainda muito baixo, o crescimento do mês de março superou os saldos negativos dos meses anteriores de 2011 em Juiz de Fora. Em janeiro, foram criados 6079 postos de trabalho e 6191 demissões, um saldo de -112. No mês seguinte, os dados foram ainda piores, com 5092 contratações e 5828 trabalhadores demitidos, totalizando -736 postos de trabalho.

O crescimento no mês de março em Minas e no Brasil foi superior ao da cidade da Zona da Mata. Mais de 11 mil postos de trabalhos foram criados no estado, um crescimento de 0,3%. Em todo o país, foram gerados mais de 92 mil empregos, saldo positivo de 0,25%.

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Juiz de Fora (CDL/JF), Vander Domingos da Silva, o saldo foi melhor do que o previsto. “Além disso, as contratações, principalmente no comércio, devem começar a se estabilizar no segundo trimestre com a chegada das datas comemorativas e com a estabilização econômica do país”, ressaltou.

Outras informações da CDL

Primeiro trimestre negativo para JF

No acumulado do ano, já foram menos 810 vagas de trabalho em Juiz de Fora, uma queda de 0,59%. Em Minas Gerais, o acumulado do primeiro trimestre de 2011 é positivo em 1,77%, criadas mais de 67 mil vagas. No país, também foi registrado saldo positivo de 1,62%, mais de 583 mil empregos gerados.

Deixe um comentário

Arquivado em Economia

Vereador Isauro Calais, do PMN, é pré-candidato à PJF

Além do vereador, outros nomes como Margarida Salomão, Júlio Delgado e Wadson Ribeiro ganham espaço no cenário juizforano

Por Valentim Júnior

As eleições municipais acontecem apenas em 2012, mas as articulações partidárias e os possíveis candidatos já começam a aparecer no cenário local. No início de abril, o vereador Isauro Calais (PMN) divulgou sua entrada na disputa pela Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) no próximo ano. “O partido quer que eu seja candidato. Há um entendimento estadual para que a legenda lance candidatura própria em todas as cidades possíveis da Zona da Mata e também nos principais municípios do estado”, relatou Isauro. Essa postura adotada pelo PMN reflete sua procura por espaço entre os grandes partidos do cenário mineiro. “Eu vou coordenar esse processo de valorização da nossa sigla na Zona da Mata. Queremos ser personagens na eleição de 2012”, destaca o vereador de Juiz de Fora.

O nome de Isauro é bem aceito pelo PMN, já que, nas eleições para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais do ano passado, o candidato recebeu cerca de 25 mil votos em Juiz de Fora e por pouco não foi eleito, ocupando a primeira vaga de suplente da coligação do partido. Além disso, o político foi presidente da Câmara dos Vereadores de Juiz de Fora por dois mandatos e, em 2009, chegou a ser líder do Governo. Atualmente, figura na bancada oposicionista à atual gestão do Prefeito Custódio Mattos (PSDB).

No entanto, o pré-candidato à PJF confirma que quer dialogar com todos. “Temos que conversar com as pessoas, com quem gosta de Juiz de Fora. Sou oposição por questões administrativas, porque acho que muita coisa está na contramão da história. Mas, apesar de ver erros, vejo acertos também”, finaliza.

Outros possíveis candidatos

Além de Isauro Calais, outros nomes figuram na disputa eleitoral de 2012. Além da possível reeleição de Custódio Mattos (PSDB), a petista Margarida Salomão, Júlio Delgado (PSB), e Wadson Ribeiro (PCdoB) são políticos fortes que também podem entrar na disputa. Os três foram os candidatos a Deputado Federal mais votados no município em 2010.

Além de ter disputado o segundo turno pela PJF em 2008, Margarida Salomão foi a candidata a Deputada Federal mais votada na história de Juiz de Fora. No entanto, mesmo recebendo mais de 66 mil votos, não conseguiu se eleger, ficando na primeira suplência da coligação do PT.

Já Júlio Delgado (PSB) foi, mais uma vez, eleito Deputado Federal, tendo recebido em JF mais de 34 mil votos. Além de figurar no cenário político brasileiro há alguns anos, Júlio é filho do ex-prefeito Tarcísio Delgado, que dirigiu a cidade por três mandatos.

Wadson Ribeiro (PCdoB) também esteve entre os mais votados na cidade para Deputado Federal, recebendo mais de 20 mil votos, apesar de não ter sido eleito. Wadson, além de jovem na política, tem se destacado pela atuação na área esportiva, ganhando espaço no cenário político local.

Outro nome que tem sido cotado nos bastidores políticos é o do Reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Henrique Duque. Embora não seja concreta esta possibilidade, dirigir a instituição mostrou ser um trampolim para a vida política na cidade, tendo em vista a projeção que a petista Margarida Salomão ganhou após sua gestão frente à Reitoria.

Deixe um comentário

Arquivado em Política

América-MG vence Tupi por 1 a 0 em Juiz de Fora

Coelho fica próximo da classificação e deixa Galo Carijó no sufoco

Por Valentim Júnior

No sábado, dia 2 de abril, Tupi e América-MG se enfrentaram no Estádio Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora, pela nona rodada do Campeonato Mineiro. Em jogo fraco tecnicamente, o Coelho levou a melhor, fazendo 1 a 0. Com o resultado, o time de Belo Horizonte chega a 19 pontos e praticamente garante sua presença nas finais do estadual. Já o Galo Carijó, que tem apenas uma partida a realizar, continua com 12 pontos, sem chances de chegar às finais e ainda vê a possibilidade de uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro ficar mais longe.

Na próxima rodada, o América recebe, em Sete Lagoas, o time do Democrata. Já o time de Juiz de Fora folga, porque realizou a partida da 10° rodada em confronto antecipado contra o Cruzeiro, que terminou em 0 a 0. Na última rodada, o alvinegro irá ao Vale do Aço enfrentar o Ipatinga.

Confira outros detalhes do campeonato no site da Federação Mineira:

http://www.fmfnet.com.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=1841:modulo-i&catid=1:cat-ultimas-noticias&Itemid=18

Primeira etapa com muitos erros de passes

O jogo começou bastante corrido, mas com muitos erros de passes. Os donos da casa, necessitando da vitória para ter chances de classificação, tomaram a iniciativa. No entanto, o time do técnico Leonardo Condé estava bastante desorganizado em campo. Aos 8 minutos, o volante Paulo Roberto cabeceou bola cruzada na área com bastante perigo contra o gol do América. Aos 11, foi a vez dos visitantes assustarem. Camilo encheu o pé de fora da área, mas a bola foi pela linha de fundo.

Aos 18, o goleiro do Tupi realizou grande defesa. Marcos Rocha saiu na cara do gol e chutou cruzado para bela defesa de Rodrigo. O jogo seguia com poucas oportunidades de gol e com muitos erros das duas equipes. O Tupi assustava com as bolas longas. Aos 28, Felipe Cordeiro mandou uma bomba que obrigou o experiente goleiro Flávio, do América, realizar ótima defesa. Finalmente, aos 37, o grande lance do jogo. O atacante Fábio Júnior aproveitou vacilo da zaga alvinegra e colocou Camilo na cara do gol. O goleiro Rodrigo saiu desesperado, enquanto o atacante do Coelho, com muita tranquilidade, tocou rasteiro: 1 a 0.

Jogadores disputam bola em partida válida pela nona rodada do Mineiro

Seguem os erros e nada de gols

Na segunda etapa, em busca da virada, o time juizforano acabou caindo no desespero. O Galo Carijó seguiu errando muitos passes, enquanto o América segurava o bom resultado fora de casa. Aos 23, o goleiro Flávio salvou o Coelho após chute rasteiro de Yan. Aos 35, o América teve a melhor oportunidade no segundo tempo, mas Marcos Rocha não acertou o gol. Já no final, aos 39, o Tupi quase empatou com Yan que desperdiçou grande oportunidade.

Ao final da partida, os mais de 1.400 torcedores reclamaram bastante com os jogadores pela fraca atuação. “No final do primeiro tempo, aconteceu uma fatalidade, assim como no campeonato inteiro. No segundo, conseguimos até fazer uma pressão, mas não conseguimos fazer o gol”, lamentou o técnico do Tupi, Condé. Do outro lado, mesmo com a vitória, o técnico Mauro Fernandes não gostou da partida realizada em Juiz de Fora. “Não jogamos bem, mas a vitória foi fundamental”, finalizou.

Detalhes nos sites dos clubes:

http://www.americamineiro.com.br/noticias.asp?codNoticia=230

http://www.tupijf.com.br/home/index.php?limitstart=10

Ficha Técnica

Tupi 0 x 1 América-MG

Juiz de Fora

Estádio Mário Helênio 02/04/2011  –  16h

Tupi: 1-Rodrigo, 2-Felipe Cordeiro, 3-Leonardo, 4-Fabrício Soares, 5-Paulo Roberto, 6-Fabiano (14-Victor Hugo, aos 31’2T), 7-Assis (16-Ramon, aos 27’2T), 8-Claudinho Baiano, 9-Yan, 10-Michel Cury e 11-Edilson (17-Cassiano, no intervalo). Técnico: Leonardo Condé

América-MG: 1-Flávio, 2-Marcos Rocha, 3-Otávio, 4-Gabriel, 5-Nando, 6-Rodrigo, 7-Fábio Júnior, 8-Leandro Ferreira, 9-Luciano (15-Moisés, aos 16’2T), 10-Camilo (16-Davi Ceará, aos 44’2T) e 11-Thiago Silvy (18-Daniel Lovinho, aos 37’2T). Técnico: Mauro Fernandes

Gol: 10-Camilo, aos 37’1T (América)

Público: 1.478 pagantes

Renda: R$ 8.924,00

Deixe um comentário

Arquivado em Esporte